Feminicídio na Maré: 'Tinha um coração enorme', dizem amigas de jovem morta em baile funk

·2 minuto de leitura

Alegre, querida e de coração enorme, uma amiga que não media esforços para ajudar quem precisasse: assim a jovem Débora Adelino Conceição foi descrita e lembrada pelas amigas de escola, que preferiram não se identificar, e que a homenageavam usando camisas com fotos dela durante o velório na manhã desta terça-feira.

— Pela quantidade de gente aqui já dá para ver que ela era muito querida — disse uma delas, em referência às dezenas de pessoas que acompanhavam o velório na manhã desta terça-feira.

Outra amiga completa:

— Ela tinha um coração enorme. O que ela poderia fazer para ajudar, ela fazia!

E outra lamenta:

— Não merecia isso, a forma como tiraram ela da gente. Era uma menina alegre — descreve e lembra a amiga.

Débora terminou a escola quando estava grávida, e segundo as amigas, foi até o final do Ensino Médio sem desistir dos estudos mesmo com as dificuldades da gravidez. Ela deixa um filho de 3 anos de idade, que está aos cuidados do pai.

Dezenas de parentes e amigos se despediram da jovem no Cemitério da Cacuia, na Ilha do Governador, nesta terça-feira. Débora tinha 20 anos e foi assassinada a tiros pelo namorado, Patrick Jorge de Assis, de 19 anos, no último domingo durante uma discussão na saída do baile funk da Vila do João, no Complexo da Maré. A irmã de Débora, uma adolescente de 16 anos, também foi baleada e está internada em estado grave, no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha.

Amigos e parentes homenagearam a jovem com camisas que tinham estampas de fotos dela e textos sobre saudade. Na frente, a imagem de Débora com a mensagem “As boas lembranças que tenho de você sempre vão secar minhas lágrimas e me fazer sorrir”. No verso das blusas, as frases: “Qual o nome da sua saudade? A minha é você, Débora”.

A Delegacia de Homicídios (DH) investiga o feminicídio contra Débora e o suposto homicídio contra Patrick — segundo a polícia, traficantes da favela teriam o capturado e executado. Ainda não há informações sobre o corpo do homem. A Polícia Civil afirma que realiza diligências em busca de informações sobre o caso, que testemunhas são ouvidas e que a delegacia aguarda os laudos das perícias. De acordo com a Polícia Militar, "não houve ocorrência a cargo do 22ºBPM (Maré) envolvendo a situação".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos