Empoderamento: "Feminismo é a arte de amar, feministas amam conscientes"

O papel da mulher e os seus direitos nunca foram tão discutidos como nos últimos anos. Inclusive, e tão importante na luta por equidade, a liberdade sexual da mulher -- ainda tabu em muitas sociedades --, inclusive nas democráticas. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus emails em um só lugar

E nos siga no Google News: Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

E quando discutimos empoderamento feminino consequentemente também estamos falando de prazer, da liberdade de amar quem, como quisermos, de conhecer o próprio corpo e nós apropriarmos dele.

Mas, afinal, o que é empoderamento feminino? O que é estar empoderada? Todas as mulheres estão empoderadas em todos os âmbitos de suas vidas - carreira, relacionamentos, maternidade, sexualidade? O empoderamento tem classe? Cor? Localização?

Assista também

A fim de discutir o papel da mulher e sua amplitude, o Yahoo Brasil! lança o terceiro capítulo da microssérie "Empoderamento Feminino". Nele, a promotora de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid), Gabriela Manssur garante que "feministas amam sim, e amam muito"; a empresária Sylvia Design mostra que se preocupar com a diferença de idade no relacionamento é uma bobagem. “Mulher é foda", garante a mulher propaganda mais famosa do Brasil.

Monja Coen cita o machismo a indústria do pornô e o quão ele é prejudicial para sociedade e a doutora em odontologia e gestora de políticas públicas, Ana Estela Haddad defende a educação sexual nas escolas.

PRIMEIRO CAPÍTULO: "Dia da Mulher é pra gente lembrar que ainda precisamos de um Dia da Mulher”

Participam da discussão: a doutora em odontologia, professora da Universidade de São Paulo (USP) e gestora de políticas públicas, Ana Estela Haddad; a ativista e estilista, Cris Xongani; a advogada e empresária do Racionais Mc's e Boogie Naipe, Eliane Dias; a promotora de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid), Gabriela Manssur; a CEO do Movimento Black Money, Nina Silva;  a fundadora da Comunidade Zen Budista, Monja Coen; a cacica da Aldeia Takeo Pyau, Patricia (Jaxuka); a empresária e produtora de funk, Rúbia Mara e a empresária Sylvia Design.

SEGUNDO CAPÍTULO: "Não temos que escolher entre filho e carreira", diz Nina Silva

O último capítulo vai ao ar no dia 10 de maio e discutirá o tema maternidade. E conte para nós, o que é empoderamento feminino para você? O que te empodera?