Portugal pede ajuda à Europa para combater fogos, mais graves no centro

Lisboa, 13 ago (EFE).- As autoridades de Portugal pediram ajuda à União Europeia para combater as chamas que afetam boa parte do seu território, especialmente o centro, onde preocupam dois grandes incêndios que afetam o distrito de Santarém.

Segundo o último balanço da situação, divulgado pela porta-voz da Autoridade de Proteção Civil, Patrícia Gaspar, há atualmente em curso doze incêndios no país, dos quais seis são considerados "mais excepcionais" e apresentam uma maior complexidade.

Entre eles, Patrícia destacou que geram "grande preocupação" os focos nos municípios de Tomar e Ferreira do Zêzere, ambos no distrito de Santárem, onde em total há mais de 580 bombeiros trabalhando, apoiados por 180 carros e oito aeronaves.

As previsões meteorológicas para hoje, disse a porta-voz, são "muito similares" às registradas nas últimas horas, com forte vento e altas temperaturas que não baixaram dos 20 graus durante a noite, o que complicou o combate às chamas na madrugada.

Foi a continuação de um sábado de "horas difíceis" em que Portugal bateu o recorde de incêndios registrados em um só dia com um total de 268 focos contabilizados até a meia-noite, atualizou Patrícia. EFE