Feriado antecipado tira poucas pessoas dos ônibus de SP, mas congestionamento diminui

VICTORIA DAMASCENO
·4 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A antecipação dos feriados na cidade de São Paulo tirou poucas pessoas dos ônibus nesta segunda-feira (29), de acordo com dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A decisão da prefeitura teve pouco impacto sobre o isolamento social na capital. Cerca de 1,17 milhão de pessoas foram transportadas nos ônibus da SPTrans nesta segunda. Na semana passada (22), o número de passageiros que pegaram ônibus na cidade foi ligeiramente maior, de 1,46 milhão. Há 15 dias (15), antes do início da fase emergencial, que controla a circulação na cidade e restringe o funcionamento de serviços essenciais, foram 1,5 milhão de pessoas. Não houve diminuição no número de veículos usados: em todos os dias 11.308 ônibus foram colocados nas ruas. Por outro lado, o trânsito melhorou. A CET registrou 5 km de lentidão nesta segunda, contra um congestionamento bem maior na semana passada, de 15 km. Na segunda anterior, durante a fase vermelha, que impunha menos restrições, foram 13 km. Os feriados antecipados também tiveram pouco efeito sobre o isolamento social na cidade, que ficou em 44% nesta segunda. O valor registrado é dois pontos percentuais maior do que o das duas semanas anteriores, de 42%. No estado, o isolamento médio também foi de 44% nesta segunda. Tanto na segunda passada como na anterior a média foi de 43%. Com a fase emergencial, um dos objetivos do governo paulista era manter o isolamento social acima de 50%. Desde o início o parâmetro só foi atingido aos domingo, quando o sistema marcou 51%. A nova fase estava prevista para acabar nesta terça-feira (30). A soma dos baixos índices de isolamento social e o iminente colapso do sistema de saúde, porém, fez com que o governo Doria a prorrogasse até o dia 11 de abril. O anúncio foi feito na última sexta-feira (26), pelo o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM). "Em virtude dos números da pandemia, da insistência da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o governo de São Paulo prorroga até 11 de abril a fase emergencial", disse durante coletiva de imprensa. A ocupação de leitos de UTI por pacientes com Covid-19, porém, está estável. Nesta segunda, 92,2% dos leitos do estado estavam lotados, enquanto na Grande São Paulo a taxa é de 91,8%. Em relação à semana passada a variação foi mínima: o estado tinha lotação de 92,3% e a região metropolitana da capital era de 91,7%. Essa estabilidade é devido à desaceleração do número de internações nos hospitais de São Paulo. Reportagem do jornal Folha de S.Paulo mostrou que diminuiu o ritmo de internações no estado e na capital nos últimos seis dias, dando indícios que as medidas de restrição começam a surtir algum efeito. O número de internados em UTIs cresceu 2,6% ao dia entre 6 e 20 de março no estado, mas nesta segunda caiu para 0,7%. Ainda assim, a desaceleração não indica que há menos mortes. Nesta terça, São Paulo registrou 1.209 óbitos por Covid-19 em um único dia, batendo um novo recorde. O estado atingiu 73.492 mortes em decorrência da Covid-19 e cerca de 2,4 milhões de casos desde o início da pandemia. O prefeito de São Paulo Bruno Covas, porém, disse na manhã desta terça-feira (30), durante uma entrevista coletiva de imprensa, que há evolução no isolamento na capital. Ele se guia pelas métricas utilizadas pela prefeitura para medir a taxa média de isolamento social, que diferentemente do governo paulista, leva em consideração catracas de ônibus, notas fiscais emitidas e o trânsito da cidade. Já o sistema do estado calcula a taxa de isolamento social por meio dos dados das operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo, registrando o deslocamento do celular do usuário durante o dia em relação ao local onde esteve pela noite. Se ultrapassar 200 metros, ele entende que a pessoa saiu de casa. "Nós utilizamos outros critérios desde o começo da pandemia e isso vem mostrando um aumento das pessoas que permanecem dentro de casa, o que mostra um acerto da decretação dos feriados", disse Covas. Apesar de ser categórico ao afirmar a melhora no índice de isolamento social na capital, não apresentou dados. Já os do governo do estado, disponíveis na internet e atualizados diariamente, mostram outra realidade. Neste sábado (27), o isolamento médio na cidade foi de 45% --no sábado passado (20), o sistema registrou 46%. Já no domingo (28), a média foi de 50%, enquanto no domingo passado (21) foi de 51%.