Fernández defende 'vínculo pragmático' no Mercosul

(Arquivo) O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández

O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, disse nesta quinta-feira (28) estar de acordo com o presidente Jair Bolsonaro em alcançar um "vínculo pragmático" no Mercosul, para além das diferenças ideológicas.

"Vi com alegria que o presidente do Brasil hoje propôs ter um vínculo pragmático para o Mercosul. É o que temos que fazer, porque o Mercosul vai superar Bolsonaro e Alberto Fernández", afirmou.

Peronista de centro-esquerda que assumirá a presidência em 10 de dezembro, Fernández se manifestou a favor de "aprofundar o Mercosul", ao falar diante de empresários na 25ª Conferência da União Industrial Argentina (UIA).

"O Mercosul ter, nessa conjuntura, presidentes que pensam diferente não me faz perder de vista a importância do Mercosul, e nenhuma disputa pessoal que eu possa ter vai me fazer colocar a Argentina em um lugar equivocado", acrescentou. Suas palavras foram aplaudidas pelos empresários.

Sobre o bloco regional, ele afirmou que é "a união dos povos: é Uruguai, Paraguai, Argentina e Brasil, com Bolívia e Chile como associados, para construir um mercado comum que nos permita enfrentar o desafio da globalização com mais força".

Em outro momento de seu discurso, mencionou a necessidade de reativar a economia argentina com estímulos à indústria local. Ele alertou que isso não deve ser interpretado como um desejo de "viver com as portas fechadas" ou "interromper as importações".

"Mas que todos entendam que não vou trazer camisetas da China, sapatos do Brasil ou da China, ou jeans de outro lado ou bicicletas da Coreia, para que nossos produtores continuem a cair. Isso não é uma economia fechada, é ser inteligentes", afirmou.