Fernando Diniz aceita renovação com Fluminense até 2024 e aguarda eleição presidencial para assinar novo vínculo

Fluminense e Fernando Diniz apertaram as mãos e decidiram que querem continuar trabalhando juntos. Tanto que, nesta semana, a diretoria tricolor recebeu a resposta do treinador, que aceitou os termos proposta de renovação até o final de 2024. A assinatura só não ocorreu ainda porque ambas as partes preferem esperar a eleição presidencial, marcada para o próximo dia 26 de novembro.

Em outras palavras, caso Mário Bittencourt seja reeleito, Diniz continuará sendo o treinador do Fluminense. A palavra do comandante já foi dada ao atual presidente e o empresário do treinador já alinhou os termos para que o novo contrato seja redigido. A decisão por esperar o resultado do pleito é cautelar, mas ambos os lados tratam o tema com cordialidade.

Fernando Diniz tem contrato com o Fluminense até dezembro de 2022 e concordou em renovar até 2024. Recentemente, ele foi procurado pelo Atlético-MG e pelo Corinthians, mas não demonstrou interesse em interromper o atual trabalho.

Caso Mário perca a eleição, o cenário muda um pouco de figura. Publicamente, Diniz não se pronuncia ou dá detalhes sobre o assunto. O GLOBO apurou, no entanto, que ainda há um desconforto quanto ao apoio de Celso Barros, ex-presidente da Unimed e vice-presidente geral, às chapas de oposição. Em 2019, o dirigente e o treinador trocaram farpas após a sua saída na primeira passagem pelo clube. Ainda há rusgas nesta relação.

Diniz não se oporia a sentar para conversar com qualquer candidato de oposição, mas se sente mais confortável se a situação for mantida. Isso vale para o presidente Mário Bittencourt e o diretor de futebol Paulo Angioni, nomes de confiança do treinador.

Neste momento, há dois pré-candidatos de oposição ao pleito: Marcelo Souto e Rafael Rolim. Souto e Rolim já afirmaram que Diniz será seu treinador se vencer. Ademar Arrais, que retirou a pré-candidatura recentemente, também defendeu a permanência.