Fernando Sabag Montiel não usou uma pistola de água em atentado contra Cristina Kirchner

As autoridades argentinas informaram que o responsável pelo atentado contra a vice-presidente do país, Cristina Kirchner, em 1º de setembro de 2022, Fernando Sabag Montiel, utilizou uma arma Bersa Lusber 84. No entanto, desde o último dia 2 de setembro, publicações nas redes sociais com mais de 2 mil compartilhamentos alegam que o brasileiro teria usado uma pistola de água. Segundo informações oficiais e a análise de especialistas independentes, essa informação é falsa.

Desde o atentado contra a vice-presidente, multiplicaram-se nas redes sociais as versões que asseguravam que o acontecimento teria sido uma farsa. Em espanhol, hashtags como “#NoLesCreoNada”, “#FalsoAtentado”, “#CFKSeVictimiza” e “#PistolaDeAgua” ganharam espaço no Twitter.

“Parece que o suposto atentado a Cristina Kirschner é fake. Munição para a imprensa esquerdista e a militância de plantão politizar o acontecimento com falsas acusações”, diz uma das publicações no Facebook (1, 2), Twitter (1, 2) e Kwai (1, 2), que compartilha um vídeo feito por um homem que se identifica como “instrutor Dias”.

A sequência também foi enviada ao WhatsApp do AFP Checamos para verificação.

Após se apresentar, o autor do vídeo diz que vai colocar uma filmagem ampliada do momento do atentado: “É uma pistola de água, vocês vão ver na filmagem aí, o cara espirrando água na cara dela, pode ser mijo, pode ser qualquer coisa e ela nem se assusta, ela simplesmente passa a mão na cara para tirar o líquido, aí tão fazendo um frenesi do caramba. Tudo mentira!”.

Em seguida, vê-se a cena em que Kirchner sofre o ataque, enquanto o homem fala, ao fundo: “Olha aqui, a arma é uma pistola de água, é uma pistola de água. Isso é uma farsa, inclusive ela fecha o olho, porque jogou alguma coisa na cara dela, mijo, alguma coisa. Vou fazer de novo! Farsa! Entendeu? Farsa! Isso aí é farsa, beleza? Repara que ele molha a cara dela! O líquido saindo! Beleza? Farsa. Olha o líquido saindo”.

Captura de tela feita em 6 de setembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

Publicações similares circulam em espanhol com e sem o vídeo.

A namorada de Sabag Montiel, Brenda Uliarte, também detida pelo atentado, se referiu à suposta pistola de água em uma transmissão ao vivo em sua conta no Instagram, horas antes de ser presa.

Mas a arma foi identificada pelas autoridades e especialistas independentes rechaçaram as versões virais.

Horas depois do atentado, o presidente Alberto Fernández indicou em cadeia nacional que “a arma continha cinco balas” e que “não foi disparada, apesar de ter sido engatilhada”.

Em 2 de setembro de 2022, o ministro argentino de Segurança, Aníbal Fernández, confirmou à emissora local IP que se tratava de uma arma de fogo. Pouco depois, fontes do Ministério de Segurança detalharam que a pistola era uma Bersa Lusber 84, calibre 32.

A Bersa é uma empresa argentina que fabrica armas curtas para uso civil, esportivo e para as forças de segurança. O modelo utilizado por Sabag Montiel foi descontinuado em 2012.

A pedido do AFP Checamos, a Associação Brasiliense de Peritos em Criminalística (ABPC-DF) analisou a sequência viral e indicou que “apesar das limitações de qualidade e resolução do vídeo, não foi possível ver nenhum sinal de ‘jato’ ou ‘mancha’ de água.  E, consequentemente, a hipótese de que se trata especificamente de uma pistola d'água não pode ser confirmada a partir do material examinado”.

Características da arma

As publicações se baseiam em um trecho do momento do ataque, no qual se vê a arma apontada para o rosto de Kirchner.

“Se alguém quiser seguir com a hipótese da pistola de água tem que mostrar uma pistola de água que coincida com as características [da arma vista no vídeo], coisa que não foi vista”, disse à AFP Andrei Serbin Pont, analista em defesa e segurança e diretor da Coordenadoria Regional de Pesquisas Econômicas e Sociais (Cries) da Argentina.

O especialista apontou que nas imagens do momento do atentado “são vistas algumas características-chave muito específicas e pertinentes ao modelo identificado da arma, que é a Bersa Lusber 84”, e que na melhor das hipóteses poderia ser confundida com um modelo “Bersa 64, que é a mesma arma em calibre 22”.

Segundo Serbin Pont, no vídeo, “analisam-se três elementos característicos” dessa arma: uma “porta de ejeção”, dois botões no lado direito da arma, uma alavanca e outro botão no lado esquerdo.

“O botão superior que pode ser visto faz parte da alavanca de desmontagem ou desarme da pistola, enquanto o inferior é uma trava de segurança tipo parafuso cruzado, que é onde a trava do carregador estaria em pistolas modernas. Essa pistola em particular tem a trava do carregador no punho, detalhou.

“Pelo que tenho visto, todas as características coincidem [entre o que se vê] nos vídeos com a arma capturada”, acrescentou Serbin Pont.

Em 6 de setembro de 2022, foram publicadas imagens extraídas dos celulares de Sabag Montiel e Brenda Uliarte. Fontes judiciais confirmaram ao jornal Clarín que nas fotos observa-se a mesma pistola Bersa utilizada no atentado.

O AFP Checamos já verificou outros conteúdos relacionados ao atentado contra Cristina Kirchner (1, 2).