Festa clandestina com 100 pessoas é interrompida na Grande SP

·1 minuto de leitura
Festa clandestina é interrompida em Mauá (SP)
Festa clandestina é interrompida em Mauá (SP)

Uma festa clandestina com cerca de 100 pessoas foi interrompida em Mauá (Grande São Paulo), na noite da última sexta-feira (2). A reunião descumpriu os protocolos de segurança estabelecidos pelo governo estadual contra o coronavírus.

Leia também

A maioria dos participantes era jovem e não usava máscara, de acordo com informações do portal G1 com base no boletim de ocorrência registrado contra a organização do evento.

Agentes da Vigilância Sanitária e da Guarda Civil Municipal de Mauá receberam uma denúncia anônima e flagraram os jovens consumindo bebidas alcoólicas e compartilhando narguilé.

O proprietário do estabelecimento, o DJ, um cantor de pagode, quatro funcionários e um casal de clientes foram levados à delegacia. Um dos frequentadores se exaltou com os policiais e foi detido por desacato. Os demais foram ouvidos pela polícia e liberados em seguida.

A Vigilância Sanitária autuou o estabelecimento e 62 pessoas que estavam sem máscara, item de proteção obrigatório contra a Covid-19. A multa para quem não utilizar o equipamento em São Paulo pode chegar a R$ 5 mil.

No fim de semana passado, a GCM recebeu mais de 100 denúncias de descumprimento de medidas restritivas (a maior parte referente a festas clandestinas, perturbação de sossego e funcionamento irregular de estabelecimentos comerciais).

O estado de São Paulo está desde o dia 15 na fase emergencial da quarentena, em que apenas serviços essenciais podem funcionar.