Festa clandestina com 500 pessoas é interrompida pela polícia na zona sul

RENATO FONTES
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma festa clandestina com cerca de 500 pessoas foi interrompida pela Polícia Civil na madrugada deste sábado (13) na estrada de Itapecerica, no Capão Redondo (zona sul da capital paulista). Já na Freguesia do Ó (zona norte), a Vigilância Estadual conseguiu chegar antes mesmo do início de um evento. "Estamos vivendo uma situação caótica, com hospitais sem vagas em UTIs, e jovens ainda agem de forma inconsequente realizando esse tipo de evento clandestino. O momento exige que, por cautela, festas não sejam realizadas para evitar a disseminação do vírus", afirmou em nota Carlos César Marera, diretor de fiscalização do Procon-SP. Esses não foram os primeiros eventos clandestinos suspensos pelas autoridades de segurança ao longo desta semana. Na quarta-feira (10), a GCM (Guarda Civil Municipal) de São Bernardo do Campo (ABC) interrompeu uma festa com 500 pessoas às margens da represa Billings. Já na madrugada desta sexta-feira (12), foi a vez da Polícia Civil acabar com uma balada com 170 jovens que acontecia dentro de uma tabacaria sem ventilação no Tatuapé (zona leste). Festas estão proibidas no estado de São Paulo por causa da pandemia da Covid-19. No caso deste sábado, de acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), os frequentadores também estavam aglomerados sem máscaras de proteção ou outras medidas para conter a propagação da Covid-19. A Vigilância Sanitária e o Procon foram acionados e aplicaram autuações no estabelecimento. Segundo a SSP, o Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos) apreendeu ao todo três máquinas de cartões, 1.000 convites, um simulacro de arma de fogo tipo pistola, 27 frascos de substância aparentando ser lança-perfume, 31 papelotes e quatro eppendorf's, aparentemente, de cocaína. O caso foi encaminhado ao DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania), onde foi registrado um termo circunstanciado de infração de medida sanitária preventiva. O Inquérito Policial será instaurado para a apuração do crime de tráfico de drogas. Um homem foi apontado como um dos organizadores do evento e será investigado. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, gestão João Doria (PSDB), pelo menos 17 estabelecimentos na capital foram autuados pela Vigilância Sanitária na madrugada deste sábado por descumprimento das novas normas de circulação definidas pelo governo estadual. Destes, quatro foram autuados por aglomerações e funcionamento após o horário permitido. Também houve a interdição de três locais, incluindo duas festas clandestinas. As ações ocorreram nos bairros do Jaguaré, Freguesia do Ó, Alto de Pinheiros, Capão Redondo e Alto de Pinheiros. O governo tucano anunciou sexta (12) a criação de um Comitê de Blitze em conjunto com a Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), para reforçar o trabalho de fiscalização e o cumprimento das restrições previstas no Plano São Paulo na capital. O objetivo é coibir festas clandestinas e aglomerações em estabelecimentos comerciais irregulares. O estado de São Paulo atualmente está na fase vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva, na qual qualquer tipo de evento é proibido. Por causa do aumento de infecções e mortes, decorrentes do novo coronavírus, o governador João Doria determinou que, a partir desta segunda-feira (15), todas as cidades paulistas decretarão toque de recolher, das 20h às 5h. O cidadão pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços que não sejam essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também pelo site do Procon-SP (www.procon.sp.gov.br) ou Centro de Vigilância Sanitária (secretarias@cvs.saude.sp.gov.br).