Festa de réveillon em Copacabana terá shows de Diogo Nogueira, Ferrugem e DJ Malboro

RIO — A festa de réveillon em Copacabana terá shows de Diogo Nogueira, Ferrugem e do DJ Malboro, em comemoração aos 30 anos do Funk. O tema da festa esse ano remete à beleza do Rio. As informações são da prefeitura do Rio, que proibiu a equipe do GLOBO de participar da coletiva de imprensa aberta a todos os demais veículos. Uma das novidades apresentadas pelo município, antecipada pelo GLOBO em outubro, é que haverá quatro palcos espalhados ao longo da orla: o principal, em frente ao Hotel Belmond Copacabana Palace; e outros três, em pontos estratégicos, na altura da Rua Anchieta, no Leme; na altura da Rua Hilário de Gouveia; e entre as ruas Bolívar e Barão de Ipanema. A expectativa é de que a festa de 2020 supere o recorde de 2,8 milhões de pessoas da última edição da festa.

Segundo a prefeitura, essa será a primeira vez que haverá espaço para a canção gospel. O tempo da queima de fogos foi mantido em 14 minutos. Serão 16,9 toneladas de fogos distribuídas por 10 balsas. O palco principal terá 48 metros de largura e 16 metros de altura, três telões de LED e iluminação especial.

A festa terá, ainda, sete telões para o público acompanhar os shows ao longo da orla, 16 torres de comunicação com sonorização, 800 banheiros químicos, quatro postos médicos e 30 torres da Polícia Militar.

Abertura oficial do carnaval

De acordo com a prefeitura, a estrutura do palco principal será mantida, após a festa de réveillon, para uma apresentação do Bloco da Favorita no dia 12 de janeiro de 2020. O show será, segundo o município, a abertura das "comemorações carnavalescas".

O tema da festa será “Amor a Cada Vista”, e remete à beleza natural e arquitetônica do Rio de Janeiro, que será no próximo ano a primeira Capital Mundial da Arquitetura, título concedido pela Unesco e pela União Internacional dos Arquitetos (UIA). A festa da virada tem patrocínio da TIM Brasil e do Governo do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura / Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Festa em outros bairros

Oito palcos vão animar outros bairros na virada: Flamengo — que terá queima de fogos disparados de três balsas —, Ilha de Paquetá, Ilha do Governador, Parque de Madureira, Sepetiba, Guaratiba, Piscinão de Ramos e Penha. Embora não esteja prevista a instalação de um palco, a Barra da Tijuca também terá festa: serão 12 pontos de queima de fogos, com duração de 5 a 15 minutos, e cerca de cinco toneladas para iluminar o céu da região.

Os hotéis Whydham Barra, Windsor Marapendi, CDesign Hotel Recreio, Hilton Barra, Marriott, Ramada Recreio, Windsor Barra e Grand Mercure participam da queima ao lado dos shoppings Barra World, Village Mall, além do condomínio Ilha Pura e do Quebra-Mar da Barra. Os hotéis Windsor Barra e Grand Mercure vão patrocinar dois shows patrocinados para quem escolher passar o réveillon no Bairro.

Atrações do palco principal de Copacabana

Shows acontecerão das 19h às 3h

Anayle SullivanAllyrio MelloDiogo NogueiraFerrugemQueima de fogosDJ MarlboroEstação Primeira de Mangueira

Curiosidades da festa

14 minutos de queima de fogos4 palcos10 balsas oceânicas, com distâncias iguais de 275 metros entre elas7 telões na orla16 torres de comunicação com sonorização16,9 toneladas de fogos800 banheiros químicos4 postos médicos30 torres da PM

Prefeitura proíbe acesso de equipe do GLOBO

Uma equipe de reportagem do GLOBO foi impedida de participar de uma entrevista coletiva do prefeito Marcelo Crivella na manhã desta terça-feira. Repórter e fotógrafo chegaram ao hotel Fairmont, na orla de Copacabana. A agenda marcada tratou da festa de réveillon de Copacabana — um dos principais eventos no calendário da cidade. Na recepção, onde jornalistas de pelo menos outros três veículos aguardavam, os profissionais foram abordados por dois assessores de imprensa da prefeitura do Rio, e foram informados que o jornal estava proibido de subir ao quarto andar, onde ocorreria a coletiva de imprensa. A alegação apresentada à equipe foi de que o veículo não fora convidado. Em solidariedade, equipes de TV Globo, Globonews, G1 e CBN, que fazem parte do Grupo Globo, também se retiraram. O fato ocorreu após O GLOBO revelar uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro, a partir da delação do doleiro Sérgio Mizrahy, sobre a existência de um suposto balcão de negócios na prefeitura para a liberação de verbas a empresas mediante pagamento de propina.

Os assessores fizeram a abordagem — que durou poucos minutos — assim que os jornalistas passaram pela porta de entrada do hotel, e antes que chegassem à área onde profissionais de outros veículos de imprensa aguardavam. Na sequência, a equipe do jornal deixou o local.