Festas clandestinas com até 600 pessoas são interditadas em MG

·2 minuto de leitura
Guarda Civil de Nova Lima (MG) interrompe festa clandestina em condomínio de luxo
Guarda Civil de Nova Lima (MG) interrompe festa clandestina em condomínio de luxo
  • Três festas clandestinas em Nova Lima (MG) foram interrompidas no último sábado (22)

  • Os eventos privados, com cobrança de ingresso, aglomeraram até 600 pessoas em um condomínio de luxo

  • Nenhum dos convidados usava máscara de proteção contra o coronavírus

A Guarda Civil Municipal de Nova Lima (MG) interrompeu três festas clandestinas que ocorreram em condomínios de luxo e reuniram, respectivamente, 600, 500 e 300 pessoas, desrespeitando protocolos de segurança contra a propagação do coronavírus.

Segundo reportagem do portal G1, nenhum dos convidados usava máscara ou respeitava os protocolos de distanciamento social. O atual decreto em vigor em Nova Lima permite a realização de eventos com até 30 pessoas, distanciamento de três metros entre as mesas e até uma pessoa a cada 10m².

Leia também

De acordo com a guarda, as festas eram privadas com cobrança de ingresso. Em uma delas, o valor da entrada era R$ 350. Alguns dos convidados chegaram a se queixar da interrupção do evento e pedir o dinheiro de volta.

Cinco viaturas da GCM, além da equipe de fiscalização, se empenharam na interdição. Os eventos foram encerrados no último sábado (22), entre 21h30 e 00h, após denúncias de vizinhos e por meio do serviço de inteligência da própria guarda. Os estabelecimentos foram fechados e também tiveram os alvarás de funcionamento recolhidos.

A Prefeitura de Nova Lima informou ao portal G1 que, além de recolhimento do alvará, o estabelecimento pode ser interditado e multado. Também é encaminhado o registro do corrido para o delegado e os envolvidos poderão responder cível e criminalmente.

Entre 1º de abril e 10 de maio, a Guarda Municipal de Nova Lima realizou 117 ocorrências preventivas e um recolhimento de alvará por descumprimento do decreto. A Divisão de Fiscalização de Atividades Urbanas registrou 468 estabelecimentos vistoriados e abordados, com 27 notificações e 15 interdições.

Os fiscais da vigilância sanitária realizaram 224 ações, sendo 49 denúncias e 175 trabalhos de rotina, como renovações de alvará e busca prévia.