Festival de Veneza anuncia competição com filmes de Iñárritu, Aronofsky, Panahi e Guadagnino

Foi anunciada na manhã de hoje a seleção oficial do Festival de Veneza 2022, em coletiva realizada na cidade italiana. A 79ª edição do evento reunirá em competição cineastas consagrados como Noah Baumbach, Darren Aronofsky, Alejandro González Iñárrtitu, Luca Guadagnino, Jafar Panahi e Frederick Wiseman.

Festival de Veneza: Comédia com Adam Driver e Greta Gerwig irá abrir o evento

Blonde: Ana de Armas vira Marilyn Monroe em trailer de filme sobre a vida da atriz; assista

Outro destaque da programação é “Blonde”, de Andrew Dominik, aguardada cinebiografia de Marilyn Monroe estrelada por Ana de Armas.

A presença de Panahi na disputa pelo Leão de Ouro mostra um posicionamento político do evento, uma vez que o cineasta foi preso recentemente no Irã e condenado a cumprir uma sentença de seis anos. O cinema iraniano também conta com Vahid Jalilvand na competição e com outros dois cineastas em mostras paralelas, Arian Vazirdaftari e Houman Seyedi, ambos com produções na mostra Horizontes.

Aos 90 anos, Paolo Taviani lança primeiro longa sem o irmão: ‘Ausência de Vittorio será sentida por todo o filme’

Fora de competição, o Festival de Veneza irá apresentar outras produções que despertam a atenção dos cinéfilos, com destaque para “Não se preocupe, querida”, de Olivia Wilde, e “Master gardener”, novo trabalho do cultuado Paul Schrader.

Uma das novidades da programação será a presença de séries dirigidas por nomes como Lars Von Trier e Nicolas Winding Refn.

Ney Latorraca: ator fala de peça sobre sua trajetória e de união de 20 anos com companheiro

Confira a seleção oficial do Festival de Veneza:

Competição oficial

“White noise”, de Noah Baumbach (filme de abertura)

“Il signore delle formiche”, de Gianni Amelio

“The whale”, de Darren Aronofsky

“L’immensita”, de Emanuele Crialese

“Saint Omer”, de Alice Diop

“Blonde”, de Andrew Dominik

“Tár”, de Todd Field

“Love life”, de Koji Fukada

“Bardo”, de Alejandro González Iñárritu

“Athena”, de Romain Gavras

“Bones and all”, de Luca Guadagnino

“The eternal daughter”, de Joanna Hogg

“Beyond the wall”, de Vahid Jalilvand

“The banshees of inisherin”, de Martin McDonagh

“Argentina, 1985”, de Santiago Mitre

“Chiara”, de Susanna Nicchiarelli

“Monica”, de Andrea Pallaoro

“No bears”, de Jafar Panahi

“All the beauty and the bloodshed”, de Laura Poitras

“A couple”, de Frederick Wiseman

“The son”, de Florian Zeller

“Our ties”, de Roschdy Zem

“Other people’s children”, de Rebecca Zlotowski

Fora de competição (ficção)

“The hanging sun”, de Francesco Carrozzini (filme de encerramento)

“When the waves are gone”, de Lav Diaz

“Living”, de Oliver Hermanus

“Dead for a dollar”, de Walter Hill

“Call of god”, de Kim Ki-duk

“Dreamin’ wild”, de Bill Pohlad

“Master gardener”, de Paul Schrader

“Siccita”, de Paolo Virzi

“Pearl”, de Ti West

“Não se preocupe, querida”, de Olivia Wilde

Fora de competição (documentário)

“Freedom on fire: Ukraine’s fight for freedom”, de Evgeny Afineevsky

“The matchmaker”, de Benedetta Argentieri

“Gli ultima giorni dell’umanita”, de Enrico Ghezzi e Alessandro Gagliardo

“A compassionate spy”, de Steve James

“Music for black pigeons”, de Jorgen Lethl e Andreas Koefoed

“The Kiev trial”, de Sergei Loznitsa

“In viaggio”, de Gianfranco Rosi

“Bobby white ghetto president”, de Christopher Sharp e Moses Bwayo

“Nuclear”, de Oliver Stone

Fora de competição (séries)

“The kingdom exodus”, de Lars Von Trier

“Copenhagen cowboy”, de Nicolas Winding Refn

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos