FHC, Lula e Dilma defendem a ciência e criticam a gestão Bolsonaro em vídeo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) defendem a ciência em vídeo transmitido durante a posse de Renato Janine Ribeiro como o novo presidente da SBPC (Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência).

O professor de filosofia política e ética da USP e ex-ministro da Educação na gestão Dilma comandará a instituição no biênio 2021-2023. Como vice-presidentes, foram eleitos a socióloga Fernanda Sobral, professora aposentada da UnB, e o físico Paulo Artaxo, da USP.

No vídeo, Dilma critica o governo Jair Bolsonaro (sem partido) e diz que o Brasil retrocedeu imensamente na política educacional, no incentivo à ciência e no desenvolvimento tecnológico. "Os recursos necessários tornaram-se escassos, pois o teto dos gastos jogou sobre a pesquisa científica uma barreira instranponivel", diz.

Ela enumera problemas enfrentados pela área nos últimos anos, como estudos interrompidos, projetos bloqueados, laboratórios fechados nas universidades e redução dos recursos para pesquisadores.

A ex-presidente cita no vídeo os problemas enfrentados pelo Ciência sem Fronteiras, programa criado por ela em 2011. Segundo Dilma, o projeto foi interrompido e desprezado, pois era considerado um gasto desnecessário.

Por fim, a petista diz que o terraplanismo e a negação da ciência tornaram-se a regra, mesmo diante da pandemia. "O Brasil certamente precisará mobilizar todos os recursos que dispõem para se reconstruir. Essa é a trajetória para reverter o retrocesso em que o governo Bolsonaro nos colocou."

À reportagem Janine Ribeiro afirmou que oposição de cientistas a negacionismo é questão de ética.

Em seu depoimento, FHC relembra a importância da instituição durante a ditadura. "Naquela época faltava liberdade, faltava quem falasse. A SBPC falava por todos nós, professores, alunos, pesquisadores e pelo povo brasileiro. Agora, temos que falar pela ciência."

Por fim, o ex-presidente afirma que é importante entender que sem conhecimento não se vai longe.

Na sequência, Lula corrobora a fala do tucano ao dizer que não é possível um país progredir se não houver um grande investimento em ciência e tecnologia e relembra como contribuiu para a área durante seu governo.

"Quando cheguei à Presidência eu fiz questão de criar um PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] de ciência e tecnologia com investimento de R$ 41 bilhões garantindo que os próprios cientistas coordenassem a execução da utilização desse dinheiro."

Após parabenizar Janine Ribeiro pela vitória na eleição, o petista diz esperar que o Brasil volte a ter um governo que tenha na ciência e na tecnologia um dos pilares do desenvolvimento do país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos