FHC reitera voto em Lula, dessa vez citando petista literalmente

Em 1º de janeiro de 2003, FHC passou a faixa presidencial para Lula (Foto: VANDERLEI ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Em 1º de janeiro de 2003, FHC passou a faixa presidencial para Lula (Foto: VANDERLEI ALMEIDA/AFP via Getty Images)

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) reiterou o voto em Luiz Inácio Lula da Silva. Diferentemente do que fez no primeiro turno, FHC citou nominalmente o petista.

“Neste segundo turno voto por uma história de luta pela democracia e inclusão social. Voto em Luiz Inácio Lula da Silva”, declarou nas redes sociais.

O ex-presidente ainda compartilhou uma foto dos dois juntos, durante a luta pelo fim da ditadura militar brasileira. "A luta contra a ditadura contou com a coragem de muitos brasileiros", afirmou, ao compartilhar a foto com Lula.

Lula agradeceu o apoio dado pelo tucano. "Pela democracia e pela inclusão social. Obrigado pelo seu voto e confiança. O Brasil precisa de diálogo e de paz", declarou o petista.

No primeiro turno, Fernando Henrique havia evitado citar nomes de candidatos, mas divulgou uma nota para pedir um “voto pró democracia”.

“Peço aos eleitores que votem no dia 2 de outubro em quem tem compromisso com o combate à pobreza e à desigualdade, defende direitos iguais para todos independentemente da raça, gênero e orientação sexual, se orgulha da diversidade cultural da nação brasileira, valoriza a educação e a ciência e está empenhado na preservação de nosso patrimônio ambiental, no fortalecimento das instituições que asseguram nossas liberdades e no restabelecimento do papel histórico do Brasil no cenário internacional”, declarou na ocasião.

A postura vai de encontro ao que foi feito por outros quatros do PSDB, como Rodrigo Garcia, governador de São Paulo, que declarou “apoio incondicional” a Jair Bolsonaro (PL).

PSDB libera filiados

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) anunciou, nesta terça-feira (4), que liberou os diretórios estaduais e filiados para decidir apoios no 2° turno das eleições presidenciais. O partido apoiou a ex-candidata Simone Tebet (MDB) no primeiro turno, após o tucano João Dória renuncia sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto. A partir de agora, filiados podem escolher se vão apoiar Lula (PT) ou Jair Bolsonaro (PL).

A decisão do diretório nacional aconteceu na tarde de hoje, virtualmente. Ainda hoje, Rodrigo Garcia (PSDB), governador de São Paulo, declarou “apoio incondicional” a Bolsonaro e Tarcísio de Freitas (Republicanos), em coletiva para a imprensa.

“Venho com muita honra aqui receber o presidente Jair Bolsonaro no aeroporto de Congonhas para declarar meu apoio e meu voto nesse segundo turno ao presidente Bolsonaro”, afirmou o tucano, que ficou de fora do segundo turno, encerrando um ciclo de 28 anos de PSDB no estado paulista.

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.