FHC sugere união para evitar Lula e Bolsonaro

Fátima Meira/Futura Press

No primeiro artigo que publicou este ano, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso argumentou que as “forças não extremadas” da política deveriam se unir para “criar consensos em favor do país e do povo.”

“Nas pesquisas brasileiras de opinião, pelo menos até agora, sem o quadro eleitoral formado, despontam um capitão irado de cujas propostas pouco se sabe e um líder populista sobre o qual pesam acusações (e mesmo condenações) que destroem o sonho que outrora representou”, escreveu o tucano referindo-se ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao deputado Jair Bolsonaro.

FHC falou em “diminuir as divergências sobre o que não é essencial” e citou nominalmente Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (PSD) e Joaquim Barbosa, como possíveis presidenciáveis que, na sua opinião, deveriam se juntar em torno de consensos.

“O Brasil precisa, urgentemente, de bom senso. Se as forças não extremadas se engalfinharem para ver quem entre vários será o novo líder e não forem capazes de criar consensos em favor do País e do povo, o pior acontecerá”, afirma.

Leia a íntegra aqui.