Fiasco? Manifestação pró-Bolsonaro teve 6% do público esperado em São Paulo

·2 minuto de leitura
Supporters of Brazilian President Jair Bolsonaro gather on Independence Day in Sao Paulo, Brazil, Tuesday, Sept. 7, 2021. (AP Photo/Andre Penner)
Manifestantes levaram cartazes e balões para a Av. Paulosta. (Foto: AP Photo/Andre Penner)
  • Ato atraiu 125 mil pessoas, enquanto organizadores previam ao menos 2 milhões

  • Maioria das pessoas estava sem máscara

  • Brasília também teve público abaixo do esperado

As manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em São Paulo, que trouxeram pautas anti-democráticas, como ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF), atraíram 125 mil pessoas para a Avenida Paulista, segundo estimou a Secretaria de Segurança de São Paulo.

Apesar de grande, o número está muito abaixo do esperado pelos organizadores. Em reunião com a Polícia Militar, no dia 31 de agosto, eles afirmaram que o público esperado era entre 2 e 3 milhões de pessoas. Os atos de 7 de setembro na capital paulista tiveram pouco mais de 6% dessa expectativa.

Ainda assim, os manifestantes encheram 11 das 15 quadras da Paulista. Eles levavam cartazes que pediam o fechamento do STF, a adoção do voto impresso e um tribunal militar. Muitos dos cartazes estavam em inglês. Poucos usavam máscaras para se proteger da contaminação pela covid-19.

O grupo assistiu ao discurso do presidente Bolsonaro, que ameaçou o Supremo e incitou desobediência à Justiça, além de declarar que só deixará a Presidência morto.

Leia também

Os manifestantes em São Paulo também se posicionaram contra o governador do estado, João Doria (PSDB), ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e à imprensa. Os participantes gritaram com jornalistas desde o começo da mobilização.

Já na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o Valor Investe falou em uma estimativa extraoficial de 150 mil pessoas, apenas 5% do que era esperado.

O presidente da República tentou, a todo custo, dar uma demonstração de força. Bolsonaro e os apoiadores dele não dão credibilidade aos institutos de pesquisa, mas perderam a narrativa: o bolsonarismo, hoje, tem um núcleo duro, que dificilmente mudará de tamanho. Isto quer dizer que os 25% que sempre estiveram com Bolsonaro, provavelmente, continuarão com ele. É o que os institutos de pesquisa mostram e é, também, o que a expressão das ruas mostraram hoje.

Ato contra o presidente

Enquanto acontecia o ato com pautas anti-democráticas na Av. Paulista, manifestantes contrários ao presidente se reuniram no Vale do Anhangabaú, no centro da capital paulista. O ato atraiu cerca de 15 mil pessoas, metade do esperado pelos organizadores.

Neste ato, a maioria dos participantes usavam máscaras, enquanto um carro de som orientava sobre medidas sanitárias de proteção contra a covid-19.

Os discursos dos organizadores focou no combate à fome - que chega a níveis alarmantes no país - e a defesa da liberdade e da democracia, além de tecer críticas ao governo Bolsonaro e seus posicionamentos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos