Putin reduzirá despesa militar e quer diálogo construtivo com o mundo

Moscou, 19 mar (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou nesta segunda-feira que reduzirá nos próximos dois anos os gastos em defesa após completar o programa de rearmamento e apostou em um diálogo "construtivo" com o resto do mundo.

"Planejamos reduzir a despesa em defesa este ano e no próximo. Mas isso não representará nenhum problema no âmbito da defesa nacional", disse Putin na reunião que teve com os oponentes nas eleições presidenciais de ontem.

Embora o país vá seguir reforçando a capacidade militar, como deixou claro ao apresentar há duas semanas o novo arsenal nuclear russo, Putin negou a possibilidade de uma nova "corrida armamentista".

"Não permitiremos nenhuma corrida armamentista. Temos tudo o que precisamos", ressaltou.

Ao contrário, acrescentou, "nos dispomos a ter relações com todos os países do mundo de forma construtiva" e adiantou que chamará "todos os parceiros ao diálogo".

"Faremos todo o possível para que todas as situações de conflito com nossos parceiros sejam ajustadas por veículos políticos e diplomatas", ressaltou ele, ao mesmo tempo em que afirmou que a Rússia continuará lutando para garantir os interesses nacionais.

Putin pediu que os outros sete candidatos abandonem as paixões da campanha eleitoral e juntem forças "para realizar um trabalho construtivo pelo bem do país".

Ele insistiu que a prioridade no trabalho das autoridades nos próximos anos residirá em "na solução dos problemas internos do país".

"O Estado deve eliminar disparidades, assim como reduzir o número de gente que vive abaixo da linha de pobreza", precisou.

Putin ganhou as eleições de ontem com mais de 76% dos votos. EFE