Fifa lança campanha para "rivalizar" com braçadeiras LGBTQIA+

'Guerra' das braçadeiras: Fifa lança movimento para
'Guerra' das braçadeiras: Fifa lança movimento para "rivalizar" com braçadeiras LGBTQIA+ (Photo by Alexander Hassenstein/Getty Images)

No Catar, a bola ainda não rolou para a Copa do Mundo. No entanto, nos bastidores, há uma grande disputa sendo travada em torno de manifestações políticas no torneio. E a principal delas diz respeito às braçadeiras em homenagem à comunidade LGBTQIA+. No Catar, a homossexualidade é proíbida.

Neste sábado (19), a Fifa lançou uma campanha "Futebol une o mundo", que tem como objetivo conscientizar as pessoas, através das partidas, sobre temas como saúde, educação e discriminação.

Leia também:

Assim, em cada etapa do torneio, os capitães das seleções receberão braçadeiras com dizeres específicos. A medida foi tomada para "rivalizar" com as braçadeias LGBTQIA+ que algumas seleções se propuseram a usar durante o Mundial.

Veja qual tema as braçadeiras irão abordar em cada uma das fases da Copa do Mundo:

  • Fase de grupos - 1ª rodada: O Futebol une o mundo #FootballUnitedTheWorld

  • Fase de grupos - 2ª rodada - Salve o planeta #SaveThePlanet

  • Fase de grupos - 3ª rodada: Proteja as crianças, divida a refeição #ProtectChildren #ShareTheMeal

  • Oitavas: Educação para fodos, futebol para as escolas #EducationForAll #FootballForSchools

  • Quartas: Não à discriminação #NoDiscrimination

  • Semifinais: Seja ativo, traga os movimentos #BeActive #BringTheMoves

  • Terceiro lugar e final: Futebol é alegria, paixão, esperança, amor e paz #FootballUnitesTheWorld

Essa campanha da Fifa temm parceira com agências da Organização das Nações Unidas (ONU) de promoção de Educação, Ciência e Cultura (Unesco), Programa Mundial de Alimentos (WFP) e Organização Mundial da Saúde (OMS).

No entanto, ainda não se sabe se todas os capitães vão utilizar essas braçadeiras. Países europeus como Inglaterra e Alemanha já se posicionaram a favor do uso da braçadeira "One Love", em homenagem à comunidade LGBTQIA+.

"Sim, usarei a braçadeira de capitão [One Liove]. Todo o torneio é uma grande experiência. Não temos medo das consequências", disse o capitão da Alemanha, o goleiro Manuel Neuer, em entrevista coletiva.