Fifa pede trégua na guerra entre Rússia e Ucrânia na época da Copa do Mundo

O presidente da Fifa, Gianni Infantino se reuniu com os líderes mundiais na Indonésia para a 17ª cúpula do Grupo dos Vines (G20) e pediu para cessar-fogo na guerra entre Rússia e Ucrânia durante o período da Copa do Mundo no Catar, que começa no dia 20 de novembro e termina no dia 18 de dezembro.

— O futebol e a Copa do Mundo da Fifa estão oferecendo a você e ao mundo uma plataforma única de unidade e paz em todo o mundo. Portanto, vamos aproveitar esta oportunidade para fazer tudo o que pudermos para começar a pôr fim a todos os conflitos — disse o presidente da Fifa.

Gianni Infantino reconheceu a incerteza atual no mundo e identificou os países envolvidos no conflito atual e citou a Copa do Mundo de 2018, sediada pela Rússia, e o Mundial de 2030, que tinha a Ucrânia como uma das candidatas, junto de Espanha e Portugal.

— A Rússia sediou a última Copa do Mundo em 2018, e a Ucrânia está se candidatando para sediar a Copa do Mundo em 2030. Talvez a atual Copa do Mundo, que começa em cinco dias, possa realmente ser esse gatilho positivo. Então, meu apelo a todos vocês é pensar em um cessar-fogo temporário, por um mês, durante a Copa do Mundo da Fifa, ou pelo menos na implementação de corredores humanitários, ou qualquer coisa que possa levar à retomada do diálogo como um primeiro passo para a paz. Vocês são os líderes mundiais; você tem a capacidade de influenciar o curso da história — completou o presidente da Fifa.

Ao falar com os chefes de estados reunidos no fórum intergovernamental, que abrange 19 países e União Europeia, o presidente da Fifa reconheceu que o futebol não pode resolver todos os problemas do mundo e que o foco da organização é o esporte. No entanto, o fato de ter cinco milhões de pessoas assistindo ao Mundial pode ser um gatilho para uma mensagem de esperança.