Fifa suspende as seleções de Chade e do Paquistão após interferência governamental e invasão de sede

O Globo
·1 minuto de leitura

A Fifa anunciou, na manhã desta quarta-feira, a suspensão por tempo indeterminado das seleções de Chade (África) e do Paquistão (Ásia). Ambas as federações foram punidas após interferências no comando do futebol no país.

Os chadianos foram suspensos após interferência governamental na federação de futebol. O governo do país retirou os poderes da associação de futebol local e criou um comitê nacional para comandar a pasta, o que vai contra o regulamento da entidade que comanda o futbol mundial.

"A suspensão será retirada apenas quando as decisões do governo sejam revistas e a associação e seu comandante, o presidente President Moctar Mahamoud Hamid, confirmem à Fifa que esta voltou ao seu controle", diz a entidade.

No caso do Paquistão, o problema é ainda mais delicado. A federação do país vive uma disputa de dois grupos políticos e em setembro de 2019, a Fifa havia criado um comitê de normalização para controlar a situação e coordenar eleições na entidade.

Mas nos últimos dias, o grupo do candidato Syed Ashfaq Hussain Shah invadiu a sede da federação, em Lahore, alegando vitória nas eleições e tomou os poderes do presidente do comitê, Haroon Malik. A Fifa chegou a dar o prazo até 31 de março para que o grupo deixasse o comando da entidade, mas a determinação foi ignorada.

"A Fifa enviou uma carta avisando que se a ocupação ilegítima da sede não fosse revista e os executivos reconhecidos pela Fifa não tivessem acesso permitido ao prédio para seguir seus mandatos, o assunto seria levado imediatamente ao Conselho para a tomada de decisão", explicou a entidade. A Fifa afirma que a suspensão só será retirada se o comitê de normalização informar a retomada completa das "premissas, contas, administração e canais de comunicação" da federação.