Fifa vai aumentar premiação na Copa do Mundo Feminina de 2023

Anúncio sobre aumento da premiação foi dado no evento 'One Year To Go' em Brisbane, na Australia. Foto: Bradley Kanaris/Getty Images for FIFA
Anúncio sobre aumento da premiação foi dado no evento 'One Year To Go' em Brisbane, na Australia. Foto: Bradley Kanaris/Getty Images for FIFA

Faltando exatamente um ano para a abertura da Copa do Mundo Feminina de 2023, uma ótima notícia foi divulgada pela FIFA nesta quarta-feira (20). A premiação do torneio deve chegar a US$ 100 milhões (cerca de 541 milhões de reais).

A secretária-geral da FIFA, Fatma Samoura, disse que as discussões estão em andamento sobre aumentar ainda mais o prêmio da Copa do Mundo Feminina de 2023, de US$ 85 milhões para US$ 100 milhões.

Leia também:

Anteriormente, a Fifa disse que "pelo menos dobraria" o prêmio em dinheiro da edição de 2019, que ficou em cerca de US$ 43 milhões.

Em um evento nesta quarta-feira em Sydney, marcando um ano para a abertura da Copa do Mundo feminina, Fatma Samoura, disse em entrevista que "novas tendências em termos de receita" levaram a FIFA a revisar a quantidade de dinheiro que poderia conceder às equipes concorrentes.

O prêmio da Copa do Mundo Feminina aumentou constantemente nas duas últimas edições, passando de cerca de US$ 15 milhões em 2015 para US$ 30 milhões em 2019. Após o torneio de 2019, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, prometeu "pelo menos dobrar" o prêmio mais uma vez para a edição de 2023.

"Em termos de números, se compararmos o prêmio em dinheiro da Copa do Mundo FIFA 2015 no Canadá e da oitava edição na França [...] o prêmio em dinheiro [passou] de US$ 15 milhões para [mais de US$ 30 milhões]", disse Samura.

"Sim, ainda estamos um pouco longe do prêmio em dinheiro da Copa do Mundo masculina, mas também devemos considerar que a Copa do Mundo masculina começou há quase 100 anos, em 1930. A Copa do Mundo Feminina começou 61 anos depois, em 1991. Estamos na nona edição e, já, quando vemos o nível de investimento – US$ 1 bilhão investido pela FIFA no último ciclo – é apenas, para mim, uma questão de tempo até chegarmos a esse ponto de inflexão”, analisou.

Samoura explicou que o número anterior poderia ser ainda mais impulsionado devido ao cenário financeiro em rápida mudança do futebol feminino, com a Copa do Mundo Feminina de 2023 definida como o primeiro torneio feminino "separado" do seu homólogo masculino em termos de mídia e direitos de patrocínio.

"Se eu fosse um investidor hoje, certamente não pensaria duas vezes em investir no futebol feminino, porque o futuro está no futebol feminino".

A FIFA também destinará mais financiamento à Austrália e Nova Zelândia para infraestrutura de futebol como parte de sua iniciativa simbólica "Unity Pitch", onde uma quadra de futebol pop-up percorrerá os dois países anfitriões nos próximos 12 meses para sediar eventos e incentivar governos federais a comprometerem mais fundos para instalações tão necessárias, como locais de treinamento atualizados, campos comunitários e vestiários para mulheres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos