Filas e falta de água marcam teste de estádio da final da Copa

Estádio de Lusail será a sede da decisão da Copa do Mundo do Catar em 18 de dezembro. Foto: Mohammed Dabbous/Anadolu Agency via Getty Images
Estádio de Lusail será a sede da decisão da Copa do Mundo do Catar em 18 de dezembro. Foto: Mohammed Dabbous/Anadolu Agency via Getty Images

A organização da Copa do Mundo do Catar usou a partida da Supertaça de Lusail, entre Al-Hilal e Zamalek para inaugurar o novo estádio de Lusail, na última sexta-feira. O jogo que terminou empatado em 1 a 1 e teve vitória nos pênaltis dos sauditas por 4 a 1, registrou inúmeros problemas de organização.

Já passava da meia-noite de sexta-feira e, por horas, quase 78.000 pessoas saíram do estádio depois que uma partida quase lotada testou a prontidão do pequeno estado do Golfo para o torneio, que começa em 20 de novembro.

Leia também:

Os organizadores disseram que exatamente 77.575 pessoas passaram pelas catracas na sexta-feira, a maior multidão já registrada no Catar. Famílias levaram crianças ao estádio, chegando antes de uma apresentação do cantor egípcio Amr Diab. Centenas de torcedores sauditas vestiram a camisa azul do Al Hilal, time saudita que derrotou o Zamalek do Egito.

As arquibancadas do estádio estavam sem água no intervalo e não havia nenhuma do lado de fora, onde a temperatura no final do verão era de 34 graus, mas parecia muito mais quente por causa da umidade.

Com 80.000 assentos, esse será o maior dos oito estádios da Copa do Mundo do Catar e vai sediar a partida final em 18 de dezembro.

O Catar é o primeiro país do Oriente Médio e menor nação a sediar a Copa do Mundo. Embora tenha gasto bilhões de dólares em infraestrutura, nunca organizou um evento dessa escala - o que, incomum para uma Copa do Mundo, também será realizado em uma única cidade ou nos arredores.

Haverá quatro partidas em Doha todos os dias durante os primeiros 12 dias do torneio. A Fifa diz que 2,45 milhões de ingressos de um total de 3 milhões já foram vendidos e um número sem precedentes de 1,2 milhão de pessoas, o equivalente a quase metade da população do Catar, deve visitar.

Questionado sobre os problemas iniciais, um porta-voz dos organizadores, o Comitê Supremo de Entrega e Legado, disse à agência de notícias Reuters que o jogo foi projetado para identificar problemas operacionais e aprender lições para uma Copa do Mundo "sem costura".

"Todas as equipes envolvidas na organização do evento ganharam uma experiência inestimável que levarão para o torneio deste ano", acrescentou o porta-voz em comunicado.