Filha da atriz Nicette Bruno doa mais de mil livros para projeto de leitura comunitário

·2 minuto de leitura

RIO — A atriz Beth Goulart, filha da atriz Nicette Bruno, que morreu em dezembro do ano passado, doou na segunda-feira 1.200 livros da mãe para o movimento literário Favelivro, que desenvolve projetos de literatura em comunidades e áreas periféricas do Rio desde 2012, como a criação de bibliotecas comunitárias, rodas de leitura e feiras literárias com distribuição de livros. Das doações de Beth, 200 obras serão colocadas na nova Biblioteca Paulo Betti, apoiada pelo ator, na comunidade da Barreira do Vasco, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, que será inaugurada em outubro. Os outros 1.000 livros irão para a nova biblioteca comunitária que será criada em homenagem a Nicette, com previsão para 2022, cujo local ainda será estabelecido.

— Ela doou praticamente todos os livros da mãe. Foram várias caixas, com livros de literatura a espiritismo. Nossa ideia é deixar parte dos livros na Biblioteca Paulo Betti e a outra na nova biblioteca, em homenagem à ela, que será criada em Niterói ou no Rio de Janeiro. Ainda estamos decidindo o local — conta a professora Verônica Marcílio, idealizadora do Favelivro junto com o livreiro Demezio Batista.

Cada biblioteca criada pelo movimento tem um nome de uma personalidade decidida pelos próprios moradores da comunidade, pela relação de proximidade ou por alguma atuação relevante no local. No momento, há cinco. Entre elas a do escritor José Mauro de Vasconcelos, na comunidade Vai Quem Quer, em Duque de Caxias; do escritor Sérgio Buarque de Holanda, na comunidade do Ipiiba, em São Gonçalo; e a do ator Helio de la Peña, no Complexo do Caju. Três das cinco estão fechadas devido à pandemia.

Além delas, Verônica conta que outras nove estão sendo planejadas ou previstas para inaugurar:

— Vamos abrir várias bibliotecas este ano com nomes de vários artistas que estão apoiando, como a jornalista Flávia Oliveira, na Comunidade do Buriti (em Madureira); da Miriam Leitão, na comunidade de Higienópolis (em Del Castilho); da cantora Fernanda Abreu, no Morro Faz Quem Quer (em Madureira), que vai inaugurar no sábado. São muitas, todas com apoio dos artistas nomeados. A idealizadora também frisa que qualquer pessoa pode doar ou visitar as bibliotecas que já estão funcionando. Para contribuir, basta entrar em contato pelo instagram do Favelivro (@favelivro) ou pelos telefones 98366-8117 (Verônica) e 99089-6368 (Gabriela).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos