Filha de Tadeu Schmidt celebra comunidade LGBTQIAP+: 'Orgulho de ser mulher queer'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Filha de Tadeu Schmidt tomou a decisão de expor sua sexualidade, se declarando queer (Foto: Globo/Fábio Rocha)
Filha de Tadeu Schmidt tomou a decisão de expor sua sexualidade, se declarando queer (Foto: Globo/Fábio Rocha)

Resumo da Notícia:

  • Filha mais velha de Tadeu Schmidt fez um post para celebrar o Dia do do Orgulho LGBTQIA+

  • Valentina Schmidt falou de sexualidade após se declarar queer

  • Atriz e escritora já fez um desabafo sobre aceitação nas redes sociais

Filha mais velha de Tadeu Schmidt celebrou o Dia do do Orgulho LGBTQIA+ nesta terça-feira (27) com um post no Instagram. Na mensagem, Valentina Schmidt, de 19 anos, segura um cartaz com os dizeres em inglês "Eu sou queer e me orgulho".

Há um ano, a escritora e atriz decidiu expor sua sexualidade e disse ter muito orgulho. "Tenho orgulho de ter a liberdade para falar abertamente sobre a minha sexualidade. Orgulho de amar quem eu quiser. Orgulho de ter uma família e amigos que me apoiam incondicionalmente. Orgulho de ser uma mulher queer. Orgulho de ser eu", falou.

"Ninguém nunca vai tirar o meu direito de amar e ser feliz. Boa sorte para quem tentar. Que esse mês do orgulho tenha sido maravilhosos para todos nós", escreveu Valentina.

Mas, afinal, o que significa o termo "queer"? A palavra "queer" é um termo inclusivo que se refere a indivíduos cujas identidades existem além do modelo binário social – homem ou mulher. Pode representar alguém que alterna entre os dois, aquelas pessoas que se identificam com um terceiro gênero, agênero ou gênero fluido.

Quem é Valentina Schmidt?

Valentina Schmidt utiliza as redes sociais para divulgar os covers e trabalhos como artista que realiza, além de publicações sobre assuntos como feminismo e a comunidade LGBTQIAP+. No início do ano, ela explicou que sua orientação sexual e atração emocional "não se encaixam nos padrões da heteronormatividade".

"Durante anos, tive muita dificuldade em me aceitar e me amar, e isso bloqueou um pouco meu amor por outras pessoas. Então, depois de anos de dúvidas, cheguei a uma conclusão da qual me orgulho e finalmente me sinto confortável: sou queer, ou seja, no meu caso, minha orientação sexual e atração emocional não se encaixam nos padrões da heteronormatividade. Eu me amo e amo todos vocês. Este sou eu. Simples assim", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos