Filha presa por mandar matar pai postou antes de crime: "Deus te dê o descanso eterno"

·2 min de leitura
Dayane Claudino Miranda Marcos foi presa com o marido, Tiago da Rosa Marcos, por suspeita de ter mandado matar o pai, Paulo Sergio de Freitas Miranda - Reprodução/G1
Dayane Claudino Miranda Marcos foi presa com o marido, Tiago da Rosa Marcos, por suspeita de ter mandado matar o pai, Paulo Sergio de Freitas Miranda - Reprodução/G1
  • O produtor rural Paulo Sergio de Freitas Miranda, de 57 anos, foi assassinado em Naviraí (MS)

  • Segundo a Polícia Civil, a vítima teve a morte encomendada pela própria filha, Dayane

  • Três dias antes do crime, ela chegou a se despedir do pai com uma mensagem de luto nas redes sociais

O produtor rural Paulo Sergio de Freitas Miranda, de 57 anos, foi assassinado em Naviraí, a 342 km de Campo Grande. Segundo a Polícia Civil, a vítima teve a morte encomendada pela própria filha, Dayane Claudino Miranda Marcos. Três dias antes do crime, ela chegou a se despedir do pai com fotos e mensagem de luto nas redes sociais.

"Luto, pai! Quero lembrar de você assim, que Deus te dê o descanso eterno", escreveu a mulher em 26 de setembro. Ela foi presa na última quinta-feira (18), após o marido, Tiago da Rosa Marcos, também ser detido por suspeita de participação no crime.

A mensagem postada por Dayane recebeu apoio e comoção de diversas pessoas, segundo reportagem do portal G1. Em um deles, uma amiga da rede social chegou a pedir paciência para a família da vítima, ressaltando que a justiça seria feita: "Tenham calma, a justiça do homem falha mas a de Deus nunca".

Na sexta-feira, um dia após a prisão do casal, os comentários passaram a ser de pessoas indignadas com o suposto envolvimento da própria filha e do genro do produtor rural. "Inteligente, linda... e agora cúmplice de um assassinato", escreveu uma das pessoas. "As aparências enganam", diz outro comentário. Uma terceira pessoa demonstrou indignação pelo crime: "Que nojo! Como tem coragem?".

Dayane e Tiago estariam com problemas financeiros e desejavam receber a herança da família. A mãe da suspeita também seria alvo do crime. Outra filha da vítima, Nathaliê Claudino Miranda, 21 anos, afirmou ao portal G1 que a irmã estava afastada dos pais, desde agosto de 2020, por problemas familiares.

A família morava anteriormente em Guaíra (PR) onde a irmã continuava residindo, mas há cinco anos decidiram se mudar para Naviraí, no interior de Mato Grosso do Sul. Tiago, genro da vítima, foi preso em 20 de outubro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos