Filha presa por mandar matar pai postou antes de crime: "Deus te dê o descanso eterno"

Dayane Claudino Miranda Marcos foi presa com o marido, Tiago da Rosa Marcos, por suspeita de ter mandado matar o pai, Paulo Sergio de Freitas Miranda - Reprodução/G1
Dayane Claudino Miranda Marcos foi presa com o marido, Tiago da Rosa Marcos, por suspeita de ter mandado matar o pai, Paulo Sergio de Freitas Miranda - Reprodução/G1
  • O produtor rural Paulo Sergio de Freitas Miranda, de 57 anos, foi assassinado em Naviraí (MS)

  • Segundo a Polícia Civil, a vítima teve a morte encomendada pela própria filha, Dayane

  • Três dias antes do crime, ela chegou a se despedir do pai com uma mensagem de luto nas redes sociais

O produtor rural Paulo Sergio de Freitas Miranda, de 57 anos, foi assassinado em Naviraí, a 342 km de Campo Grande. Segundo a Polícia Civil, a vítima teve a morte encomendada pela própria filha, Dayane Claudino Miranda Marcos. Três dias antes do crime, ela chegou a se despedir do pai com fotos e mensagem de luto nas redes sociais.

"Luto, pai! Quero lembrar de você assim, que Deus te dê o descanso eterno", escreveu a mulher em 26 de setembro. Ela foi presa na última quinta-feira (18), após o marido, Tiago da Rosa Marcos, também ser detido por suspeita de participação no crime.

A mensagem postada por Dayane recebeu apoio e comoção de diversas pessoas, segundo reportagem do portal G1. Em um deles, uma amiga da rede social chegou a pedir paciência para a família da vítima, ressaltando que a justiça seria feita: "Tenham calma, a justiça do homem falha mas a de Deus nunca".

Na sexta-feira, um dia após a prisão do casal, os comentários passaram a ser de pessoas indignadas com o suposto envolvimento da própria filha e do genro do produtor rural. "Inteligente, linda... e agora cúmplice de um assassinato", escreveu uma das pessoas. "As aparências enganam", diz outro comentário. Uma terceira pessoa demonstrou indignação pelo crime: "Que nojo! Como tem coragem?".

Dayane e Tiago estariam com problemas financeiros e desejavam receber a herança da família. A mãe da suspeita também seria alvo do crime. Outra filha da vítima, Nathaliê Claudino Miranda, 21 anos, afirmou ao portal G1 que a irmã estava afastada dos pais, desde agosto de 2020, por problemas familiares.

A família morava anteriormente em Guaíra (PR) onde a irmã continuava residindo, mas há cinco anos decidiram se mudar para Naviraí, no interior de Mato Grosso do Sul. Tiago, genro da vítima, foi preso em 20 de outubro.