Filha se cobre de sacos de lixo para abraçar a mãe em meio ao isolamento social; assista

Reprodução/Twitter

Abraços criativos durante a quarentena por conta do novo coronavírus têm ganhado destaque nas redes sociais em tempos em que o calor da família faz falta. Um desses momentos de conforto por meio de braços entrelaçados ocorreu na cidade de Criciúma, em Santa Catarina, entre uma idosa e sua filha, que se cobriu da cabeça aos pés com sacos de lixo. E ainda usou máscara por baixo. O neto gravou esse encontro e postou o vídeo no Twitter.

Bruno explicou que mora com a mãe em São José, a 188 quilômetros de distância da casa da avó que, segundo ele, tem se sentido triste e ansiosa pela solidão provocada pelo distanciamento social.

Leia também

— Fomos para Criciúma para uma consulta ao médico e ela (mãe) queria ver minha vó para matar a saudade — contou o rapaz.

Ele comentou que a reação da avó variou entre estranhamento, quando viu aquela pessoa coberta de plástico preto, até pura felicidade, quando finalmente reconheceu quem estava ali. As duas estavam há aproximadamente quatro meses sem se encontrar pessoalmente, por morarem distantes uma da outra. A pandemia de coronavírus serviu apenas para intensificar a saudade.

Assista ao vídeo:

— Depois que reconheceu e percebeu o motivo (poder dar um abraço) ficou toda contente — afirmou.

Por um lado, a medida para proteger a idosa do coronavírus é necessária e, por outro, a mantém longe das pessoas amadas.

— (A vó) tá meio triste, porque antes os filhos dela entravam e conversavam, e tá lá (sozinha) agora. (Eles) não podem sequer tocar nela. E não entram mais, só ficam do lado de fora. Ela ficou toda feliz de receber um abraço da (minha) mãe — disse. — A vó tá bem ansiosa, mas tá respeitando (o distanciamento social). Só sai de casa para comprar comida. Levou tempo até ela perceber a gravidade da situação.

O neto explicou que a ideia da mãe para conseguir abraçar a avó dele surgiu por causa do Babu que, durante o "Big Brother Brasil 20", usou uma roupa feita com sacos de lixo numa brincadeira das sisters para transformá-lo numa drag.

Outros abraços entre parentes que fazem o possível para evitarem qualquer contágio do corornavírus vão desde um pai que se fantasiou de dinossauro para pegar o filho no colo até uma menina de 10 anos que criou uma cortina com mangas de plástico para matar as saudades dos avós na porta da casa deles.

Do EXTRA