Filho de Anne Heche anuncia livro póstumo da mãe: 'Que ela floresça e ganhe vida própria'

Filho de Anne Heche, Homer Laffoon usou o perfil da mãe no Instagram para anunciar o lançamento de um livro baseado num manuscrito deixado por ela. A atriz morreu em agosto do ano passado, após passar dias internada em decorrência de um acidente de carro. Ela dirigia um carro que seguia em alta velocidade , bateu em uma casa e provocou um incêndio. Anne inalou fumaça e teve queimaduras fatais.

'Sinto falta todos os dias': Ex-marido de Anne Heche posta reportagem sobre laudo de que ela estava sóbria no momento do acidente

Herança: Filho e ex-marido de Anne Heche disputam controle sobre bens da atriz

Laffoon inicia a postagem falando que nunca imaginou que seria responsável pela conta da mãe. E fez questão de agradecer pelo carinho recebido: " (...) a quantidade de amor, cuidado e apoio demonstrado por todos nas mídias sociais e na IRL foi esmagadora e recebida de forma abençoada - obrigado. Um dia de cada vez está funcionando para mim, pois tenho certeza de que a jornada de cura será longa. Seus bons pensamentos e votos continuarão a me confortar em meu caminho".

Em seguida, ele começa a falar sobre o livro, chamado "Call me Anne" (Me chame de Anne, em tradução livre). "Este é o relato da minha mãe, então chega de mim. Tenho a responsabilidade de compartilhar com a comunidade dela em que ela estava trabalhando e como ela mesma ficaria animada em contar a vocês. Minha mãe tinha um manuscrito completo para um segundo livro no momento de sua morte", escreveu.

"O livro é o produto dos esforços adicionais de minha mãe para compartilhar sua história e ajudar outras pessoas no que puder. 'Call me Anne' é o resultado e sei que ela estava animada para compartilhar com o mundo. Então, mãe, aqui estou compartilhando com a comunidade que você criou, que ela floresça e ganhe vida própria, como você gostaria", continua o texto.

Laffoon segue dizendo que não pretende usar o perfil da mãe com frequência: "Mas sei que ela amava seus fãs, amava escrever (ela escrevia sem parar) e não seria certo não entrar em contato em um momento como este". E encerra lembrando como a mãe terminava suas mensagens: "Como a mãe gostava de assinar, paz e amor, Homer".

Além de "Call me Anne", a atriz americana é autora do livro "Call me crazy" (Me chame de louca, em tradução livre), lançado em 2003.