Filho de Bolsonaro, Jair Renan diz que coronavírus é 'gripezinha' e que prefere morrer transando a tossindo

CAMILA MATTOSO
BRASILIA, DF, BRASIL, 24-04-2020, 17h00: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado de seus ministros, durante pronunciamento à imprensa para falar sobre as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro ao pedir demissão. No palácio do planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O filho do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan, 22, publicou nas suas redes sociais um vídeo em que diz que o novo coronavírus é uma "gripezinha" e que prefere morrer transando a morrer tossindo.

Em mensagem que acompanha o vídeo, ele diz que estão compartilhando um trecho do material para tirá-lo de contexto, argumentando que era uma brincadeira.

"Vamos na rua na pandemia, tá ok? Pô, que pandemia, malandro? Isso aí é história da mídia aí para trancar você em casa, para achar que o mundo está acabando. É só uma gripezinha, irmão, vai tomar no c.. Peguei, passou. Prefiro morrer tossindo do que morrer transando. Não, prefiro morrer transando do que tossindo. Foi mal, foi mal, tá tarde já. Eu prefiro morrer transando do que tossindo, rapaziada", diz Jair Renan no vídeo.

Ele é o mais jovem dos quatro filhos homens de Bolsonaro e, por isso, é chamado de "zero quatro" pelo presidente.

O vídeo foi publicado em perfil no Twitter indicado pelo próprio Jair Renan como sendo dele.

"Nando Moura, aqui está o vídeo na íntegra. Foi uma brincadeira que vc tirou de contexto! Vc é um mau caráter e todo mundo sabe disso!", escreveu Jair Renan no tuíte. O influenciador Nando Moura havia publicado uma versão mais curta do material.

No vídeo, Jair Renan incluiu um trecho de vídeo em que o cantor Leonardo diz algo similar, indicando que era uma imitação que estava fazendo do músico.

O presidente Bolsonaro citou Jair Renan em pronunciamento na sexta-feira (24), por ocasião da saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça.

Bolsonaro tratou de acusações de que seu filho teria namorado a filha de Ronnie Lessa, acusado de ter participado dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ) e do motorista Anderson Gomes.

O presidente mencionou em seu discurso a sugestão de troca do superintendente do Rio de Janeiro pouco antes de relatar uma investigação que pediu sobre o suposto namoro.

"Sugeri a troca de dois superintendentes, entre 27. O do Rio, a questão do porteiro, do meu filho 04, o Renan, que agora tem 20, 21 anos de idade. Quando no clamor da questão do caso Adélio, que os dois ex-policiais teriam ido falar comigo, também apareceu que meu filho 04 teria namorado a filha do ex-sargento", disse o presidente.

"Comecei a correr atrás. Primeiro chamei meu filho. 'Abre o jogo'. [Ele respondeu] 'Pai, saí com metade do condomínio, nem lembro quem era essa menina, se é que eu estive com ela'. A intenção de dizer que meu filho namorava a filha do ex-sargento era que nós tínhamos um relacionamento familiar", afirmou Bolsonaro. Ele e Lessa moravam no mesmo condomínio, o Vivendas da Barra.