Filho de Cássia Eller, Chicão fala sobre luta das mães: 'Parte de quem sou'

Extra
·1 minuto de leitura

Da união até a luta pelo reconhecimento de dupla maternidade, Cássia Eller e Maria Eugênia enfrentaram muitas barreiras familiares e da sociedade. A homofobia atravessou a vida de Chicão, filho das duas, mesmo sendo um homem hétero.

"Admiro muito a batalha das minhas mães. Sem dúvida nenhuma é parte de quem eu sou, e tenho muito orgulho disso. Elas se casaram. As duas são filhas de militares, e mesmo que mais tarde tenha ficado tudo bem, tiveram que enfrentar a resistência da família. Elas ainda tiveram uma realidade muito própria, muito particular. Minha mãe (Cássia) era uma pessoa conhecida, e mal ou bem isso gerou uma aceitação maior, inclusive para que a minha outra mãe (Eugênia) conseguisse a minha guarda na Justiça. Quão difícil seria se não fosse o espaço na mídia?", disse o cantor em entrevista ao Universa.

Com 27 anos, o artista, que fez faculdade de geografia, queria ser jogador de futebol e quis o destino que seguisse a música. Mas prefere dizer que nada tem a ver com DNA, embora seja só elogios à carreira da mãe.

"Demorei muito para conhecer a Cássia cantora. O meu primeiro fascínio com ela era de ir aos shows, ver a coisa toda acontecendo, sem me ligar propriamente na música. Ver os amigos dela, a galera toda reunida, a tensão antes do show, depois a cervejinha quando acaba, com todo mundo feliz, suado, gritando. O ápice da confraternização. Essas são as minhas primeiras memórias dela. A música mesmo eu fui curtir um pouco mais velho, com 12, 13 anos. Sou suspeito óbvio, mas ela é uma das minhas cantoras preferidas."