Filho de Cabral desautoriza Luiz Lima a usar vídeo e critica candidato: 'Entrou na política pelo PMDB'

·2 minuto de leitura

RIO - Candidato a prefeito pelo PSL, Luiz Lima, utilizou em sua propaganda de televisão, nesta sexta-feira, um vídeo gravado em junho por Marco Antônio Cabral (MDB) no qual ele, que é filho do ex-governador Sérgio Cabral, condenado a mais de 200 anos de prisão, relatou proximidade de sua família com Eduardo Paes, candidato pelo DEM. Marco Antônio, que é ex-deputado federal, não gostou e decidiu entrar na Justiça para impedir o uso da gravação. Em uma rede social, Marco antônio disse ainda que Luiz Lima, que adotou como bordão a frase "diferente disso tudo que tá aí", entrou na política a convite do PMDB, atual MDB.

"Não tenho absolutamente nada a ver com a campanha do senhor Luiz Lima à prefeitura do Rio. Ele vem utilizando a minha imagem, um vídeo que gravei meses atrás, de forma indevida, sem pedir a minha permissão. Por isso o meu partido e eu, o MDB, estamos entrando com todas as medidas cabíveis contra o senhor Luiz Lima e contra a sua candidatura. E quero dizer que o Luiz Lima entrou na sua política através do MDB, do PMDB", disse Marco Antônio Cabral, lembrando que o ex-nadador aceitou um convite do ex-deputado federal e ex-ministro dos Esportes Leonardo Picciani para ser secretário nacional de Esportes na gestão do ex-presidente Michel Temer.

"Luiz Lima se apresenta da nova politica, 'diferente de tudo que tá aí' (bordão da campanha), mas de diferente não tem absolutamente nada, e ainda se utiliza de práticas da velha política para conseguir a sua eleição", finalizou o filho de Cabral.

No vídeo, o filho de Cabral diz que Paes foi à mansão de Cabral em Mangaratiba duas vezes, ao contrário do que o ex-prefeito fala, segundo o deputado. Marco Antôniuo também lembra dos jantares que o ex-prefeito oferecia ao pai, no Palácio da cidade, uma das sedes da Prefeitura do Rio.

Procurado, Luiz Lima ainda não se manifestou.