Filho de candidato a prefeito de Bom Jesus do Itabapoana, que morreu durante live, faz desabafo emocionante

Extra
·3 minuto de leitura

O filho do candidato a prefeito de Bom Jesus do Itabapoana, Paulo Sérgio Cyrillo, que morreu após ter um mal súbito dutante uma transmissão ao vivo na quarta-feira, fez uma carta pública emocionada ao pai. Em seu perfil no Facebook, o jovem deixou clara a tristeza por perder o pai, a quem trata como "melhor amigo, herói e conselheiro".

"Fiz vários planos para minha vida, pai, e em todos o senhor estava presente. “Promessa é pra ser cumprida”. Prometo ao senhor que levarei esse ensinamento para sempre. Posso nunca esquecer do momento em que você partiu, hoje, em meu colo, mas as lembranças que ficarão serão os seus sorrisos. Eu prometo!Perdão, pai, se não fui o filho que você merecia. Eu tentei, eu me esforcei de verdade! Mas eu falhei. Eu não consegui te proteger... Eu não sei como me despedir. Aliás, para confortar meu coração, permita-me não dizer adeus mas, sim, um até breve", escreveu o filho.

Paulo Sérgio Cyrillo, de 73 anos, concorria à Prefeitura de Bom Jesus do Itabapoana, no Norte Fluminense, pelo partido Republicanos. Segundo sua assessoria de imprensa, era feita naquele momento uma entrevista à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A live estava disponível através do YouTube.

Veja a carta aberta na íntegra:

"Sonhar...Sonhar um sonho bom, quem nunca sonhou? Meu pai, meu amigo, meu guerreiro, meu herói. Sonhava quando muitos desistiam. Sorria quando muitos choravam. Você foi o moderador, o aconselhador, o mediador nos momentos mais difíceis. Sua calma excessiva, por vezes, nos tirava do sério. O seu “fica tranquilo”, enquanto o mundo parecia de cabeça para baixo, parecia não ser compreendido, mas era o que me confortava. Os nossos cafés diários, nossas conversas, nossas teimosias...

Fiz vários planos para minha vida, pai, e em todos o senhor estava presente. “Promessa é pra ser cumprida”. Prometo ao senhor que levarei esse ensinamento para sempre. Posso nunca esquecer do momento em que você partiu, hoje, em meu colo, mas as lembranças que ficarão serão os seus sorrisos. Eu prometo!Perdão, pai, se não fui o filho que você merecia. Eu tentei, eu me esforcei de verdade! Mas eu falhei. Eu não consegui te proteger... Eu não sei como me despedir. Aliás, para confortar meu coração, permita-me não dizer ADEUS mas, sim, um ATÉ BREVE.

Quero te dar orgulho quando você olhar aí de cima para mim. Quero poder ser forte e cuidar de tudo aqui embaixo. Eu quero, pai. Eu quero ser o seu eterno defensor. Eu quero enfrentar a vida, de frente, e honrar tudo que aprendi com sua experiência e dignidade. Minha cabeça está confusa, pai. Nada está fazendo sentido. Aliás, será que algum dia as coisas voltarão a fazer sentido por aqui sem a sua presença?Tenho convicção que Deus não nos dá uma cruz mais pesada do que podemos carregar. Mas Deus, como Seu filho, eu imploro: ajuda a aliviar essa dor. Por favor!Pai, você não foi 10 nessa eleição. Você foi 10 em toda sua vida.

Um pai 10, um trabalhador 10, um ser humano 10!Eu te amei, eu te amo e para sempre te amarei. Aos amigos, ainda não tive condições de ler as mensagens de carinho. Mas posso fazer um pedido? Independente de suas religiões, façam uma oração pela alma do meu amado pai. Um Pai Nosso, uma Ave Maria... Pode parecer um pedido simples, mas terá muito significado. Acreditem!E obrigado. Obrigado pela força que tentam me transmitir nesse momento. E em vez de falar sobre a política, permitam-me pedir apenas uma coisa: UNIÃO.

Aos que gostam de mim, por favor, unam-se em oração. O ser humano se sente inteligente, mas somente Deus sabe de todas as coisas. A vida é um sopro. Esse sopro levou o meu pai e me deixou sem chão. Meu coroa, meu amigo, meu herói, meu pai: até breve. Que Nosso Senhor te receba de braços abertos. Essas lágrimas, um dia, passarão. Vá em paz".