Filho do casal de idosos morto a facadas diz que terminou o namoro com o acusado do crime porque ele o agrediu

Filho do casal de idosos encontrado morto a facadas, na madrugada deste sábado, dia 25, em um apartamento no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, o professor de inglês e influenciador digital Felipe da Silva Coelho diz que não estava mais namorando o oficial da Marinha Cristiano da Silva Lacerda, de 40 anos, preso em flagrante acusado de cometer o crime. Ele conta que o relacionamento de dois anos terminou por conta de um comportamento violento do capitão de fragata.

Em entrevista ao Globo, quando liberava os corpos dos pais no Instituto Médico legal (IML), Felipe contou que conheceu Cristiano há cerca de dois anos, no começo da pandemia. O professor morava em Fortaleza nessa época e se mudou para o Rio por conta do militar. Desde o começo da relação eles moravam juntos no apartamento do Jardim Botânico. No entanto, no último carnaval, em abril, Cristiano deu um tapa no rosto e um soco no peito de Felipe, que decidiu terminar o relacionamento. Mas o namorado continuou morando no imóvel antes de encontrar outro lugar.

Na noite desta sexta-feira, Felipe foi chamado para um evento em Ipanema e deixou os pais com Cristiano em casa. Geraldo Pereira Coelho, de 73 anos, e Oselia da Silva Coelho, de 72, moravam em Fortaleza e estavam no Rio desde o último dia 17. O casal iria embora na próxima terça-feira. Segundo ele, em determinado momento, Cristiano começou a mandar mensagem mandando voltar para casa porque a mãe estaria passando mal.

— Ele me mandou mensagem, falou que minha mãe não estava bem e que era para eu voltar. Na mesma hora eu pedi um Uber. Ele seguiu mandando outras mensagens, perguntando se eu voltaria ou ficaria com meus amigos. E também me ofendeu — relatou.​

Felipe conta que, quando chegou em casa, já encontrou os pais mortos no sofá onde estavam dormindo. Ele começou a gritar e a pedir ajuda para os vizinhos, que foram tentar socorrer. Felipe chegou a conversar com a administradora do condomínio, que disse não ter ouvido qualquer barulho de briga ou discussão. O professor acredita que, pelo fato de os pais dormirem cedo, eles estavam dormindo na hora em que foram mortos. Cristiano saiu do apartamento desacordado, numa cadeira de rodas.

— Eu só espero que ele pague por tudo que ele fez. Estou sofrendo demais com isso.

Cristiano foi encontrado também ferido dentro da cama-baú do quarto de Felipe. Ele foi preso em flagrante e está internado sob custódia no Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, na mesma região. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos