Filho e apoiadores de Bolsonaro protagonizam nova onda de ataques a Joice, líder do PSL

JULIA CHAIB
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 04.12.2019 - A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) durante depoimento em sessão da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News, fala sobre os ataques virtuais que sofreu ao deixar a liderança do governo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e outros perfis aliados de Jair Bolsonaro protagonizam nesta terça-feira (28) um embate com a líder do PSL, Joice Hasselmann (SP), nas redes sociais.

O parlamentar, filho do presidente, divulgou um áudio da deputada seguido da legenda: "sem apoio espontâneo, Joice dá ordem para criar perfis fakes para defendê-la nas redes sociais".

"Acabei de chegar de São Paulo, mas podia falar com a turma para fazer vários perfis e entrar de sola no Twitter, especialmente, Instagram, porque eles estão colocando todos os robôs, as milícias para cima de mim", diz Joice no conteúdo divulgado pelos aliados de Bolsonaro.

Em resposta aos ataques, a deputada afirma que no áudio "não há nada que trate de criação de perfis falsos, fake news ou robôs".

"Ao contrário, o áudio mostra uma solicitação legítima para que meus apoiadores criem perfis para ajudar a me defender dos ataques da milícia digital que habita no governo. Além disso, solicitei sim a criação de perfis oficiais para esclarecer as fakes que me atacam", afirmou a parlamentar.

A deputada citou dois perfis, "EquipeJH", "VerdadeJH", que são atrelados ao perfil oficial dela, como exemplo dessas páginas criadas a pedido.

"É piada me criticarem por solicitar a criação de perfis verdadeiros e não fakes para me defender e não para atacar ninguém", reclamou Joice, em nota.

Os ataques de apoiadores de Bolsonaro levaram a hashtag #gabinetedapeppa ao assunto mais comentado do Twitter.

O termo remete à porquinha Peppa Pig, protagonista de um desenho para crianças, e é o modo pejorativo por meio do qual apoiadores do presidente da República se referem à parlamentar.

A deputada tem sofrido ataques da base bolsonarista desde outubro de 2019, quando deixou a liderança do governo no Congresso após embates dentro do PSL com Bolsonaro e seus apoiadores.

Em dezembro, em depoimento na CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito), a parlamentar acusou Eduardo e outro filho do presidente, o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), de participarem do chamado "gabinete de ódio" que atuaria de dentro do Palácio do Planalto para disparos de fake news e ataques em massa contra opositores.

Depois, a parlamentar reforçou as acusações em depoimento no âmbito de inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) que investiga disparo de notícias falsas contra ministros.

No sábado (25), a Folha de S.Paulo revelou que a Polícia Federal identificou Carlos Bolsonaro como um dos coordenadores do esquema de fake news.

Nesta terça, o deputado Eduardo Bolsonaro e aliados divulgaram o áudio e passaram a acusar Joice de já ter feito parte de alguma forma do esquema, o que ela nega.

Outro vídeo publicado pelo deputado Carlos Jordy (PSL-RJ) mostra o próprio presidente Jair Bolsonaro sugerindo que teria um áudio de Joice, sem citar o nome dela, em que ela supostamente pediria a criação de perfis falsos.

"Ía passando para uma pessoa falando o seguinte: olha, cria mais uns perfis falsos aí, para atacar fulano de tal. Você acha que ía pegar mal para essa deputada?", disse o presidente.