Filho de idosos mortos a facadas publica vídeo dos pais no Rio: 'A dor é insuportável'

O professor Felipe da Silva Coelho, de 39 anos, publicou, na madrugada desta segunda-feira, em suas redes sociais, um vídeo com imagens de seus pais , Geraldo Pereira Coelho, de 73 anos, e Oselia da Silva Coelho, de 72, mortos na madrugada do último sábado, dia 25, em um apartamento no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio. No texto, ele diz que "a dor é imensurável, insuportável. Estamos completamente desolados, mas o amor permanece para sempre. Eles estão nos braços do Pai. Agradecemos as mensagens de apoio nesse momento tão doloroso". O vídeo mostra o casal na Enseada de Botafogo e tem a legenda "meus amores eternos". Oselia chama o marido de seu "eterno namorado" nas imagens.

Foi namorado de filho das vítimas: Oficial preso por matar casal de idosos no Rio é transferido para Hospital da Marinha

No Jardim Botânico: Filho do casal de idosos morto a facadas diz que terminou o namoro com o acusado do crime porque ele o agrediu

Os dois podem sido esfaqueados pelo ex-genro enquanto estavam dormindo. Segundo Felipe, o casal tinha o hábito de deitar cedo no sofá-cama da sala, onde os corpos dos dois foram encontrados. Na ocasião, seu ex-namorado, o capitão de fragata Cristiano da Silva Lacerda, de 49, estava no baú da cama do quarto com uma faca ensanguentada. Ele foi preso e internado no Hospital da Marinha.

Ao GLOBO, o professor contou que, após encontrar os pais mortos, gritou e pediu por ajuda aos vizinhos do prédio. Ele também conversou com a administradora do condomínio, que disse não ter ouvido qualquer barulho de briga ou discussão naquela noite em torno do horário em que aconteceu o crime. O casal estava passando uma temporada com o filho e voltaria a Fortaleza, no Ceará, terra-natal deles, na próxima semana. Nesta segunda-feira, os corpos serão levados para lá e serão enterrados no Cemitério Jardim Metropolitano, na tarde de amanhã.

Após mortes em imóvel: 'Nada vai apagar esse amor', publica filho de casal morto a facadas em apartamento

Segundo Felipe, ele e Cristiano não namoravam mais desde o último carnaval, em abril, após dois anos de relacionamento, mas o militar seguiu morando no apartamento em que os dois viviam, no Jardim Botânico, onde o crime aconteceu, até conseguir encontrar um outro local. Ainda de acordo com o professor, os dois terminaram após uma briga violenta, em que o oficial lhe deu um tapa no rosto e um soco no peito.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos