Filho de mulher desaparecida em Angra relata ter recebido trote: 'Se aproveitam desse momento de dor e esperança'

·2 minuto de leitura

RIO - O filho de Cristiane Nogueira da Silva, de 48 anos, desaparecida há uma semana junto com o ex-companheiro Leonardo Machado de Andrade, de 50, em Angra dos Reis, Guilherme Brito, fez um apelo no Instagram pedindo que não compartilhem o telefone pessoal da família. Ele pediu que quem tiver informações que repasse à polícia e ao Disque Denúncia. Guilherme conta que um número com DDD de Pernambuco ligou insistentemente para a família esta manhã dizendo que estavam com o casal.

— Ligaram dizendo que estavam com eles, que iriam devolvê-los e que era para pararem as buscas. Depois falaram que iam devolver, mas que era para a gente fazer um pix. Estavam pedindo 500 reais sem nenhuma evidência de que seriam eles dois — explica.

Os golpistas chegaram a sugerir de marcar um encontro presencial em um galpão com a família. Guilherme diz que relatou o ocorrido aos policiais civis que acompanham o caso, e teve que ser muito racional para não cair no golpe.

— Nesse momento tem que ser racional, pensar e analisar com calma, porque, infelizmente, tem pessoas que se aproveitam desse momento de dor e de esperança da família.

O filho de Cristiane tem acompanhado de perto as buscas pelo casal. Ontem ele esteve com uma das filhas de Leonardo em Angra dos Reis.

— Fomos na casa que o Leonardo alugou, conversamos com os moradores, fomos no flutuante, que é a última vez que eles foram vistos. E quando estávamos voltando de lá, vi um sinal de fumaça em uma montanha, ficamos com esperança, então fomos nessa direção. Foram dez minutos para chegar lá aflito com esperança de achar alguma coisa, mas era um morador — lembra Guilherme, que esperava que fosse algum sinal feito pelo casal desaparecido.

Segundo ele, as buscas dos bombeiros agora se estendem também entre Mangaratiba, no Rio, e Ubatuba, litoral de São Paulo.

— Eu realmente acho que agora é uma questão de achá-los de verdade. Eu não estou acreditando mais em hipótese de pirata, de sequestro ou que possa ter acontecido algo entre eles dois, mas sim com a embarcação, porque a embarcação realmente ninguém acha. A prioridade é achá-los. A pista ideal seria achar o barco agora.

O Corpo de Bombeiros afirma que retornou as buscar na região à 6h45 deste sábado com apoio de motos aquáticas e botes infláveis, mas até o momento nada foi encontrado. Ontem as buscas contaram com apoio de helicópteros também.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos