Filhos e neta de Flordelis deixam cadeia após absolvição por morte de Anderson do Carmo

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Deixaram a cadeia na tarde desta segunda-feira (14) uma filha afetiva e uma neta de Flordelis dos Santos de Souza, absolvidas na véspera da acusação de participação na morte do pastor Anderson do Carmo, assassinado a tiros em junho de 2019.

Marzy Teixeira e Rayane dos Santos estavam presas no Instituto Penal Santo Expedito, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro. Já André Luiz Oliveira, filho afetivo da pastora, que estava detido na Cadeia Pública Patrícia Acioli, em São Gonçalo, foi solto neste domingo (13) horas após a definição das penas dos envolvidos.

Após sete dias de julgamento, o Tribunal do Júri de Niterói (RJ) absolveu André Luiz, Marzy Teixeira e Rayane dos Santos. Já Flordelis e a filha biológica Simone dos Santos foram condenadas pela morte do pastor Anderson do Carmo. Brunno Dantas-07.nov.2022/TJRJ Flordelis está de cabeça baixa sentada ao lado do filho afetivo André Luiz. Atrás também sentados estão a filha afetiva Mazry, a neta Rayane e a filha biológica Simone. Todos estão sentados vestindo branco no banco dos réus no Tribunal do Júri de Niterói (RJ). **** Flordelis, que está presa desde agosto do ano passado, já voltou para a Penitenciária Talavera Bruce, também em Bangu. Ela foi condenada a 50 anos e 28 dias de reclusão, em regime fechado, por ser considerada mandante do homicídio qualificado -- por motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima-- do marido.

A pastora também foi considerada culpada de uma tentativa de homicídio do pastor com uso de veneno, falsificação de documento e associação criminosa armada. A defesa da ex-deputada vai tentar anular o júri.

O namorado de Flordelis publicou neste domingo, nas redes sociais, uma mensagem dizendo que não vai desistir dela. A postagem vinha ainda com a música "A Justiça virá", cantada pela pastora. O produtor artístico Allan Soares esteve na porta do Presídio Santo Expedito, nesta segunda-feira para acompanhar a saída de Marzy e Rayane. Ele ainda tentou visitar a ex-deputada, mas não teve a entrada liberada por conta do feriado de Proclamação da República.

Após sete dias de julgamentos, o Tribunal do Júri da Comarca de Niterói (RJ), absolveu Marzy e André, que respondiam por homicídio, tentativas de homicídio e associação criminosa armada, e Rayane, que era acusada de homicídio e associação criminosa armada.

A sentença foi proferida no último dia do julgamento --que começou na manhã de sábado e terminou apenas na manhã do dia seguinte-- e se tornou o mais longo da história do estado do Rio.

Além de Flordelis foi condenada sua filha biológica Simone dos Santos Rodrigues. Ela recebeu pena de 31 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e associação criminosa armada.

O crime ocorreu em junho de 2019, quando o pastor foi atingido por disparos na garagem de sua casa que ocasionaram 33 ferimentos em seu corpo, entre fraturas e entradas e saídas dos projéteis. Anderson do Carmo tinha 42 anos e morava com Flordelis e mais 35 filhos.

Defesa quer a nulidade do júri Advogados de defesa afirmam que não tiveram acesso a um depoimento dado por Raquel dos Passos Silva e Rebeca Vitória Rangel Silva, netas de Flordelis, ao Conselho Tutelar e que fora apresentado aos jurados por volta das 22h de sábado (12). Por causa disso, querem a dissolução do conselho de sentença.

O pedido de anulação também será baseado em um comentário que o assistente de acusação, Ângelo Máximo, fez em relação ao direito constitucional dos réus permanecerem em silêncio.

A Promotoria também informou que vai recorrer da absolvição dos demais réus.