Filial nuclear da Toshiba se declara em concordata

A Westinghouse, filial nuclear americana do grupo japonês Toshiba, solicitou nesta quarta-feira a proteção da lei de falência

A Westinghouse, filial nuclear americana do grupo japonês Toshiba, declarou-se em quebra nesta quarta-feira, anunciaram ambas as companhias em um comunicado.

A companhia apresentou a um tribunal de Nova York o procedimento para recorrer à proteção da lei sobre quebras de empresas.

"Hoje tomamos medidas para enfrentar nossos desafios financeiros, protegendo ao mesmo tempo nossas atividades", declarou o presidente de Westinghouse, José Emeterio Gutiérrez, citado no comunicado.

Um investidor não citado no comunicado decidiu oferecer ao grupo um financiamento de 800 milhões de dólares para enfrentar essa fase de "reestruturação estratégica", da qual espera "sair mais forte".

Pouco antes, a imprensa japonesa informou que o conselho administrativo da Toshiba autorizou a operação.

Após o endurecimento das normas por causa do acidente de Fukushima, a Westinghouse calculou mal os riscos da construção de centrais Estados Unidos e seus custos dispararam, arrastando consigo o gigante japonês.

Nesse contexto, a Toshiba anunciou há duas semanas que quer se desfazer de suas atividades nucleares no exterior, incluindo a Westinghouse.

A companhia foi comprada por Toshiba há dez anos por mais de 4 bilhões de dólares.

Apesar de desfazer-se de sua filial, a Toshiba continua tendo graves problemas financeiros e nesta quarta-feira anunciou que teme uma perda líquida anual neste exercício de 1,01 trilhão de ienes (8,4 bilhões de euros, 9,15 bilhões de dólares), devido a custes financeiros relacionados à quebra da Westinghouse.