China bloqueia acesso à rede social Pinterest

Pequim, 17 mar (EFE).- A rede social Pinterest, com mais de 150 milhões de usuários, foi bloqueada na China, um país onde também não é possível acessar serviços similares como Twitter e Facebook, segundo denunciou nesta sexta-feira o site "GreatFire", que monitora o estado da censura da rede no país.

Nos últimos anos, o Pinterest, que é utilizado principalmente para compartilhar imagens, já tinha sofrido problemas pontuais de acesso na China, mas estes parecem ser permanentes desde a semana passada, afirmou o site.

O bloqueio coincide com a realização -de 5 a 15 de março- da sessão anual do Legislativo chinês, a reunião política anual mais importante para o regime comunista, momento no qual aumentam a censura e as pressões contra ativistas de direitos humanos.

A Agência Efe pôde comprovar que o acesso à rede social não é possível hoje desde computadores de Pequim ou de Xangai.

O Pinterest era uma das poucas redes sociais que ainda eram acessíveis em território chinês, onde Twitter, Facebook, Instagram, Tumblr, Snapchat, Line e Telegram são bloqueadas.

Outros sites censurados pela China além das redes sociais são o procurador Google e o serviço de armazenamento de vídeos YouTube, apesar de muitos internautas no país utilizarem truques para poder acessar todos os sites bloqueados, tais como a contratação de servidores para a navegação anônima (VPN).

O presidente do Pinterest, Tim Kendall, afirmou no ano passado que seu site não era exatamente uma rede social, mas um "catálogo de ideias", o que segundo ele explicava sua livre operação na China. EFE

abc/ff