Filipinos escolhem novo presidente com filho de ex-ditador como favorito

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Milhões de filipinos compareceram às urnas nesta segunda-feira (9) para definir o novo presidente do país, com o filho do ex-ditador Ferdinand Marcos como favorito para vencer a disputa, marcada por episódios de violência.

As urnas abriram às 6H00 locais (19H00 de Brasília, domingo) e a votação terminou às 19H00 (8H00 de Brasília), mas quem estava na fila a menos de 30 metros de distância do local de votação ainda poderia depositar o voto, segundo as autoridades.

Quase 40 anos depois que seu pai foi deposto e enviado para o exílio, Ferdinand Marcos Jr. está prestes a restaurar o poder da família.

Dez candidatos disputam a sucessão do atual presidente Rodrigo Duterte, mas apenas Marcos e sua rival Leni Robredo, atual vice-presidente, parecem ter chance de vitória.

As autoridades esperavam um índice de participação elevado entre os mais de 65 milhões de filipinos registrados para votar nas eleições gerais, que também definem o vice-presidente, deputados, metade dos senadores, governadores das províncias e milhares de outros funcionários locais.

Eleitores de máscara formaram filas desde o amanhecer para depositar os votos ao longo do arquipélago.

Marcos Jr., de 64 anos, votou com a irmã mais nova, Irene, na escola Mariano Marcos da cidade de Batac, norte do país e terra natal da família.

Robredo foi recebida por simpatizantes aos gritos de "Leni, Leni" quando votou em uma escola do município de Magrao, no centro do país.

Após uma campanha acirrada, as pesquisas apontam uma vantagem de dois dígitos de Marcos sobre Robredo.

A lei eleitoral filipina determina a vitória do candidato com mais votos, sem a necessidade de um percentual mínimo de apoio.

A campanha de Marcos trabalhou para esconder o histórico brutal e corrupto do regime de seu pai e para aproveitar o desencanto dos eleitores com os últimos governos.

Depois de seis anos de governo autoritário de Duterte, defensores dos direitos humanos, a Igreja Católica e analistas políticos expressam o temor de que Marcos se sinta estimulado a governar de maneira ainda mais dura se vencer por ampla margem.

Robredo, uma advogada e economista de 57 anos, prometeu limpar a política filipina, uma democracia com longa tradição de feudalismo e corrupção.

Marcos e sua candidata a vice-presidente, Sara Duterte, ambos filhos de líderes autoritários, insistiram que são os mais preparados para unificar o país.

- Violência -

Vários episódios de violência foram registrados na jornada eleitoral, incluindo as mortes de quatro seguranças quando um homem abriu fogo contra um local de votação em uma área de conflito do sul do país.

O crime aconteceu pouco depois do início da votação no município de Buluan, na ilha de Mindanao, que tem forte presença de grupos armados, que vão de insurgentes comunistas até militantes islamitas.

Homens armados também atacaram um local de votação na província de Lanao do Sul, em Mindanao. Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas.

No domingo à noite, cinco granadas explodiram diante de um centro de votação no município de Datu Unsay e nove pessoas ficaram feridas. Um ataque similar aconteceu no município vizinho de Shariff Aguak.

amj/caw/mas/mr/atm/me/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos