Filme com Wagner Moura, Ryan Gosling e Chris Evans será a produção mais cara da Netflix

O Globo
·2 minuto de leitura

Wagner Moura será um dos atores envolvidos em "The Gray Man", o filme mais caro produzido pela Netflix até hoje. Com orçamento estimado em US$ 200 milhões, o filme terá direção dos irmãos Russo e elenco repleto de estrelas de Hollywood, além do novato Regé-Jean Page, galã de Bridgerton, uma das maiores sensação do ano na televisão.

O longa segue em pré-produção, ainda sem previsão de lançamento. "The Gray Man" é baseado no romance de Mark Greaney, publicado originalmente em 2009. É o primeiro de uma série de livros, ainda inéditos no Brasil.

A trama acompanha Court Grentry (Ryan Gosling), um assassino freelancer e ex-agente da CIA conhecido como "O Homem Cinzento", sendo caçado por Lloyd Hansen (Chris Evans). Esse será o primeiro filme de grande orçamento do irmãos Russo desde "Vingadores: ultimato" (2019), atualmente o detentor do posto de maior bilheteria da história do cinema. O elenco traz ainda Ana de Armas e Billy Bob Thornton, entre outros.

Essa será o terceiro trabalho de Moura com a Netflix. O ator já deu vida a Pablo Escobar na série "Narcos", além de ter estrelado "Sergio" (2020), biografia do diplomata brasileiro Sergio Vieira de Mello.

Segundo os diretores, a ideia é que a produção seja o primeiro passo para o início de uma franquia, aos moldes de James Bond. O projeto estava sendo desenvolvido pela Sony, mas foi adquirido pela Netflix no ano passado.

O início das gravações está previsto para este mês, em Los Angeles.

O alto orçamento indica que o filme é uma grande aposta da plataforma de streaming. Até então, seu longa mais caro havia sido o ainda inédito "Red Notice", estrelado por Dwayne Johnson (o The Rock) e Gal Gadot, com custo de aproximadamente US$ 160 milhões. Seguido por "O Irlandes" (2019), de US$ 159 milhões e "Esquadrão 6", que custou aproximadamente US$ 150 milhões para a Netflix.