Novo filme com Angelina Jolie é alvo de ataques racistas na internet

Rafael Monteiro
·2 minuto de leitura
Angelina Jolie e David Oyelowo em cena de "Come Away" (reprodução)
Angelina Jolie e David Oyelowo em cena de "Come Away" (reprodução)

"Come Away", filme estrelado por Angelina Jolie, está sendo alvo de uma série racistas de ataques na internet. O motivo é simples: a obra ousa ao mostrar personagens clássicos da cultura infantil dos Estados Unidos como crianças negras.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Na fábula infantil ainda a ser lançada, Jolie e David Oyelowo (ator de "Selma") são pais de três crianças. Quando uma delas morre, os irmãos Peter e Alice buscam refúgio para a depressão na Terra do Nunca e no País das Maravilhas.

Readaptando, portanto, as histórias de Peter Pan e Alice No País das Maravilhas com atores mirins negros, Jolie despertou a ira de grupos conservadores na internet, que passaram a ironizar a raça das personagens no Youtube, IMDB e Twitter.

"Isso tem sido algo que tenho experimentado ao longo da minha carreira regularmente", disse Oyelowo ao Hollywood Reporter. "Ser uma pessoa negra, que tende a gravitar em torno de conteúdos edificantes… Parece que essas pessoas acham isso o mais deplorável."

A prática tem até um nome: "review bombing", ato de disparar críticas negativas para uma obra que sequer foi lançada. Na entrevista, o ator conta que sofreu o mesmo com "Um Reino Unido", longa no qual vive um casal com uma atriz branca, Rosamund Pike.

"Para um longa que ainda não foi lançado - as classificações deveriam ser baseadas na opinião das pessoas que assistiram aos filmes - estava claro que havia algo no tom e na natureza do filme que estava incomodando certas pessoas", analisa Oyelowo.

"Come Away", ainda sem título no Brasil, deve estrear em nosso país em fevereiro do ano que vem. Percebendo o movimento contra o longa, o IMDB bloqueou a caixa de comentários da obra para os usuários.

"Somos curadores culturais e podemos construir um mundo que queremos ver fazendo conteúdos desta natureza. E as empresas de tecnologia precisam se aprimorar", finalizou David Oyelowo. Confira abaixo o trailer:

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube