Filmes sobre imigração e terrorismo vencem prêmio alemão Bambi

Artista Weiwei recebe troféu na premiação Bambi em Berlim 16/11/2017 REUTERS/Axel Schmidt

BERLIM (Reuters) - Filmes sobre imigração, terrorismo e a luta pelos direitos das mulheres foram os grandes vencedores do prêmio alemão Bambi na noite de quinta-feira, e o artista e dissidente chinês Ai Weiwei exortou a plateia repleta de astros a manter a fé na humanidade.

"A coragem não pertence somente às pessoas que aceitam refugiados, mas também às 65 milhões de pessoas que perderam suas casas, que mantêm alguma esperança em suas mentes", disse Weiwei, ele mesmo um refugiado que mora em Berlim desde 2015.

    "Devemos confiar na coragem... devemos confiar na humanidade", afirmou Weiwei, homenageado por seu filme "Human Flow – Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir".

O prêmio Bambi é concedido anualmente, desde 1948, a pessoas de visão e criatividade. A cerimônia de 2017 refletiu as muitas crises emergindo em todo o mundo.

    O cineasta turco-alemão Fatih Akin recebeu um Bambi por "Em Pedaços", filme indicado ao Oscar que tem a alemã Diane Kruger no papel de uma mulher cujos marido e filho pequeno morrem em um ataque a bomba da extrema-direita.

    Akin, filho de imigrantes turcos, fez o filme em reação à violência de direita crescente na Alemanha.

    O partido anti-imigrante Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão) conquistou cadeiras na câmara baixa do Parlamento pela primeira vez na eleição de 24 de setembro, depois de fazer campanha contra a decisão tomada em 2015 pelo governo do país de permitir a entrada de mais de um milhão de imigrantes majoritariamente muçulmanos.

    "O racismo é uma droga – aqui e em todo lugar do mundo", disse Akin.

Alicia von Rittberg foi premiada como melhor atriz do ano por sua interpretação de uma enfermeira teimosa que luta para se tornar médica em "Charité", uma série de televisão que se passa no famoso hospital Charité de Berlim perto do final do século 19.

O ex-presidente alemão Joachim Gauck, que ajudou a liderar protestos na Alemanha Oriental antes da queda do Muro de Berlim, recebeu um Bambi por uma vida inteira de serviços prestados.

    Gauck saudou os 30 milhões de habitantes da Alemanha, mais de um terço da população, que dedicaram seu tempo de forma voluntária para trabalhar com refugiados e em muitos outros programas.

"Temos muitos problemas não resolvidos, mas nos tornamos um modelo para muitos", disse.

    Entre os outros reconhecidos durante a noite plena de celebridades estiveram a supermodelo alemã Claudia Schiffer e a cantora e apresentadora de TV alemã Helene Fischer.

    (Por Andrea Shalal)