'Financiador da esquerda': quem é George Soros?

Bilionário, filantropo e que também já foi chamado de “bicho-papão da esquerda”. Esse é o húngaro George Soros.

Nascido em 1930, em Budapeste, Soros sobreviveu ao lado de sua família judia às ocupações nazista e comunista em seu país.

Assista também

Aos 17, se mudou para a Inglaterra para estudar filosofia, enquanto juntava dinheiro fazendo bicos como garçom e carregador de malas.

O mergulho no mundo das finanças aconteceu nove anos depois em Wall Street, onde criou seu próprio fundo de investimentos, o Soros Management, em 1970

Focado em investimentos agressivos de alto retorno financeiro, o fundo ganhou fama por suas especulações flexíveis e de curto prazo.

Esse lado especulador lhe rendeu a fama de “o homem que quebrou o Banco da Inglaterra” em 1992, quando embolsou 1 bilhão de libras ao apostar contra a moeda local.

Com bilhões no bolso, Soros fundou a Open Society, instituição filantrópica que ofereceu bolsas de estudo a alunos negros durante o apartheid, financiou cientistas e universidades na Rússia e até hoje defende ações de direitos humanos e do movimento LGBT.

Entre suas outras alcunhas estão a de “financiador da esquerda”, por ser um dos doadores do Partido Democrata americano. Teorias da conspiração ainda o acusam de “inundar” os Estados Unidos e países europeus com imigrantes ilegais.

Mas esses ataques infundados servem apenas para tentar diminuir o lado humanitário de Soros, que, por acaso, também é um grande crítico da direita radical pelo mundo.