Financiamento de carro entre pessoas físicas é possível? Veja dicas

Mercado de carros sempre foi considerado um dos termômetros da economia brasileira
Mercado de carros sempre foi considerado um dos termômetros da economia brasileira

Apesar do Brasil estar em um contexto econômico desafiador, a aquisição de um automóvel ainda faz parte da lista de sonhos dos brasileiros, sendo os modelos seminovos e usados os mais cobiçados. Segundo informações divulgadas pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o segmento teve um crescimento de 2,5% em vendas diárias no mês de junho em comparação a maio. Quando se trata de concretizar a compra de um carro, é válido ter em mente que há mais de uma alternativa de financiamento no mercado.

“No momento de adquirir um veículo, as opções vão além das concessionárias. É possível também comprar um seminovo ou usado de outra pessoa física. Mas, esse processo que pode ser simples entre parentes, amigos ou vizinhos, ganha um tom maior de preocupação ao ser feito com desconhecidos. Neste caso, é importante que o interessado tome algumas precauções para evitar cair em um mau negócio”, diz Daniel Abbud, fundador e CEO da Dryve, fintech de financiamento digital de automóvel.

Pensando em auxiliar aqueles que pretendem aproveitar a alternativa de financiamento particular de automóvel, o executivo listou os principais fatores a serem considerados. Veja abaixo:

  1. Pesquisar pelo RENAVAM ou placa do veículo

Os dados do RENAVAM ou placa do veículo não podem ser alterados e, portanto, o interessado pode encontrar todas as informações e histórico do veículo. “Para isso, basta acionar um corretor de seguros de confiança ou o Detran mais próximo”, comenta Abbud.

  1. Tabela FIPE

A Tabela FIPE reúne os preços médios de veículos anunciados pelos vendedores no mercado nacional, o que pode ajudar a definir um parâmetro para as negociações. Ou seja, se o carro estiver à venda por um valor muito abaixo do padrão, é motivo para se desconfiar.

  1. Dê preferência a um intermediário

Atualmente existem startups de financiamento digital de automóveis que trazem mais assertividade e garantias a esse tipo de negociação, visto que as empresas se responsabilizam por checar os dados de quem quer comprar e vender, além de intermediar todo o processo com o banco. “Diferentemente de uma concessionária, esses intermediários têm parceria com um maior número de instituições financeiras, o que aumenta as chances de aprovação da solicitação de crédito”, explica o CEO.

  1. Evite pagamentos antecipados

Um golpe na compra de carros muito comum é a exigência de um pagamento antecipado para fechar o negócio. Os golpistas podem, inclusive, emitirem boletos falsos. “O ideal é pagar apenas após a assinatura do contrato de compra, evitando ao máximo qualquer parcela antecipada”, reforça Abbud.