Fintechs deverão ter políticas de relacionamento igual a dos bancos, decide BC

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O Banco Central (BC) aprovou uma resolução nesta quinta-feira que obriga consórcios e instituições de pagamento, figura no qual se encaixam muitas fintechs, a adotar políticas de relacionamento com o cliente assim como os bancos.

A nova medida iguala as exigências relativas ao relacionamento com clientes e usuários de todas as instituições reguladas pelo BC.

“A política de relacionamento deverá nortear a condução das atividades das instituições em conformidade com os princípios de ética, responsabilidade, transparência e diligência, propiciando a convergência de interesses e a consolidação de imagem institucional de credibilidade, segurança e competência”, diz a nota do BC.

A nova exigência deverá entrar em vigor no dia 1º de outubro de 2022. Segundo o BC, é o tempo necessário para que as mudanças sejam implementadas.

“Com essa regulamentação, todas as instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central passam a ser sujeitas às mesmas exigências relativas ao relacionamento com clientes e usuários. Busca-se com isso, aprimorar essa relação, alinhando os interesses das instituições aos de seus clientes”, apontou o BC.

A questão das “assimetrias regulatórias” é uma reclamação que os grandes bancos vêm fazendo há alguns anos, desde que fintechs no ramo financeiro, como Nubank, Stone e Ebanx cresceram e alcançaram milhões de clientes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos