Fiocruz confirma chegada de mais um lote de IFA e garante estoque de vacina até julho

·2 minuto de leitura

RIO — A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmou, nesta segunda-feira, que receberá nova remessa do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), no sábado (12), para a produção da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19. De acordo com a instituição, os insumos permitirão entregas semanais do imunizante ao Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde até o dia 10 de julho.

A AstraZeneca tem garantido entregas mensais de lotes de IFA, conforme acordo firmado com o governo federal. Contudo, a Fiocruz aguarda confirmação da possibilidade de aceleração das próximas remessas de IFA, uma vez que a instituição permanece com capacidade de produção superior do que a disponibilização do insumo.

Após mudança na coordenação de logística pelo Ministério da Saúde, a partir desta semana, as entregas de doses da vacina aos estados brasileiros ocorrerão em duas remessas. Às sextas-feiras elas chegarão ao estado do Rio de Janeiro e, aos sábados, serão destinadas ao almoxarifado central do Ministério da Saúde em São Paulo, de onde os imunizantes serão distribuídos aos demais estados.

Na última quarta-feira (2), a Fiocruz recebeu dois bancos, um de células e um de vírus, para a produção do IFA nacional da vacina contra a Covid-19. Os dois componentes formam a base para a produção do insumo, sendo considerados o "coração" da tecnologia para a produção da vacina, segundo a fundação.

Com isso, o Brasil poderá produzir o imunizante de Oxford/AstraZeneca sem depender da importação do IFA da China. Mas a produção do insumo nacional passa por uma série de etapas que podem durar "alguns meses", informa a Fiocruz. A previsão é que as primeiras doses da vacina 100% nacional sejam entregues apenas em outubro, caso não haja contratempos.

Além do tempo estimado de produção, o diretor de Bio-Manguinhos, Maurício Zuma, e Nísia Trindade, presidente da Fiocruz, informaram, em coletiva, que a fundação reduziu a previsão de entrega de vacinas no segundo semestre de 110 milhões para 100 milhões de doses. Anteriormente, a estimativa era que o total fosse produzido com IFA nacional. Agora, a projeção é que sejam entregues 50 milhões de imunizantes com produção 100% nacional e mais 50 milhões com insumo importado, que está sendo negociado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos