Fiocruz entrega kits de diagnóstico rápido do coronavírus

Célia Costa

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) iniciou, nesta quarta-feira, a distribuição para a rede de laboratórios públicos de todo do país de kits para diagnóstico do novo coronavírus. A primeira fase da produção inclui insumos para a realização de 30 mil testes diagnósticos. Com capacidade de revelar o resultado em cerca de seis horas, a descentralização dos exames dará mais rapidez ao combate à doença.

s kits foram desenvolvidos pelos Institutos de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) e de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). Com a tecnologia desenvolvida em Manguinhos, os laboratórios poderão detectar também se os pacientes foram infectados pelos vírus Influenza.

Um caminhão com os kits seguiu para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) para a distribuição para vários estados do país, conforme determinação do Ministério da Saúde.

Referência nacional em vírus respiratórios, o laboratório da Fiocruz já realizou a capacitação de especialistas dos Institutos Adolfo Lutz, em São Paulo; e Evandro Chagas, no Pará, além de técnicos do Laboratório Central de Saúde Pública de Goiás e de nove países da América Latina, a partir de solicitação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Atualmente, na rede pública nacional, somente os laboratórios da Fiocruz, o Evandro Chagas e Adolfo Lutz realizam os testes específicos para o novo coronavírus. Os laboratórios públicos dos estados apenas faziam a triagem de casos.

Fiocruz entregará não apenas kits para detecção do novo coronavírus, mas também para os vírus de Influenza A e B. Ou seja, além de expandirmos a capacidade de diagnóstico para várias partes do país, vamos agilizar ainda mais o tempo de resposta ao paciente, uma vez que os laboratórios poderão testar Influenza e o novo coronavírus, fazendo um diagnóstico diferencial.

A Fiocruz tem a capacidade de produzir de 25 a 30 mil testes semanais e o ritmo de produção seguirá conforme a demanda do Ministério da Saúde.