Fiol: trecho de ferrovia é concedido pelo valor mínimo em leilão sem concorrentes

João Sorima Neto
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO - Sem concorrentes, a Bahia Mineração S.A. (Bamin) venceu o leilão de concessão de um trecho de 537 quilômetros da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, a Fiol 1 localizado entre as cidades de Ilhéus e Caetité, na Bahia. A Bamin ofereceu o valor mínimo de outorga exigido pelo edital de concessão, que era de R$ 32,7 milhões.

A Bamin é dona da mina Pedra de Ferro e desenvolve um projeto de terminal portuário em Ilhéus.

Foi o segundo dia da semana de leilões de concessões promovida pelo governo federal na B3, em São Paulo. Ontem, com a concessão de 22 aeroportos, o governo federal arrecadou R$ 3,3 bilhões em outorgas, um ágio médio de 3.822% em relação aos valores exigidos no edital.

A Bahia Mineração era a principal interessada no trecho da rodovia, por ter a mina de minério de ferro na região. A concessão tem prazo de 35 anos. Os investimentos previstos são de R$ 5,4 bilhões e o leilão foi promovido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

O último leilão de concessão de ferrovias no governo Bolsonaro aconteceu em 2019, com a Norte/Sul.

A expectativa do governo é que a Fiol se consolide como um corredor logístico de exportação para o escoamento de minério de ferro de Caetité, além da produção de grãos e minério do Oeste da Bahia, com a concessão da Fiol 2, entre Caetité (Bahia) e Barreiras (Bahia), que já tem obras em andamento, e a Fiol 3, de Barreiras (Bahia) a Figueirópolis (Tocantis), que aguarda licença de instalação por parte do Ibama.

Esse corredor de escoamento terá um total de 1.527 quilômetros de trilhos, ligando o porto de Ilhéus, no litoral baiano, ao município de Figueirópolis, ponto em que a Fiol se conectará com a Ferrovia Norte-Sul e o restante do país.

A Bamin ficará responsável pela finalização do trecho e operação do trecho. Do total, R$ 1,6 bilhão será utilizado para a conclusão das obras, que estão com 80% de execução. A expectativa é de criação de 55 mil empregos diretos e indiretos.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, comemorou a concessão, mesmo sem concorrência. Ele disse que com a Fiol os investimentos contratados na semana de leilões somam R$ 9,4 bilhões, faltando apenas R$ 600 milhões para atingir a meta prevista de R$ 10 bilhões.

Amanhã, último dia da semana de leilões, haverá concessão de portos, o que deve permitir que o governo chegue à sua meta.

- No segundo dia e a semana de leilões de concessões já é um sucesso.Faltam apenas R$ 600 milhões para batermos a meta de R$ 10 bilhões em investimentos contratados - disse o ministro.