Fisiculturista ameaça advogado negro que entrou com ação para barrar reabertura de academias em Brasília

Alma Preta
·2 minuto de leitura
Intimidação foi feita em vídeo publicado no Instagram e que foi removido nesta sexta-feira (10) após a vítima registrar o caso na polícia; Justiça aprovou ação em razão da gravidade da pandemia da Covid-19. Foto: Reprodução
Intimidação foi feita em vídeo publicado no Instagram e que foi removido nesta sexta-feira (10) após a vítima registrar o caso na polícia; Justiça aprovou ação em razão da gravidade da pandemia da Covid-19. Foto: Reprodução

Texto: Juca Guimarães Edição: Nataly Simões

O empresário Felipe Carvalho, de 21 anos, postou um vídeo nas redes sociais ameaçando os advogados que protocolaram na Justiça uma ação para impedir a reabertura de academias, bares e restaurantes em Brasília, no Distrito Federal, em meio à pandemia da Covid-19.

Carvalho é fisiculturista e afirmou, aos gritos, que iria “cobrar” pessoalmente os advogados que barraram a reabertura dos estabelecimentos comerciais. No vídeo, o empresário usa palavras de baixo calão e cita o nome do advogado negro Marivaldo Pereira, um dos autores da ação.

“Marivaldo e companhia, aquela galera da esquerda de Brasília alegou que tem gente morrendo. Gente morrendo tem sempre, desde que o mundo é mundo”, diz Carvalho. O fisiculturista ainda ameaçou ir até a casa de Marivaldo filmá-lo.

A ação do grupo Manifesto Pela Vida pedia o fechamento dos estabelecimentos até que fossem feitos estudos e até que a oferta de vagas nas UTIs dos hospitais estivesse em um nível seguro para evitar mortes sem atendimento médico adequado.

Na quinta-feira (9), Marivaldo Pereira registrou as ameaças sofridas na 5ª delegacia de polícia de Brasília. O caso será investigado pela equipe do 2º Distrito Policial. Na manhã da sexta-feira (10), o vídeo do empresário que ameaçou o advogado foi removido do Instagram.

“É inadmissível que a gente seja ameaçado por tentar salvar vidas. A reabertura neste momento vai vitimizar negros e pobres no Distrito Federal. É lamentável que tenha tantas pessoas indiferentes a esse fatos e a essas vidas, que fazem a cidade funcionar. Obrigar essa população a encarar o metrô lotado ou o ônibus lotado é um crime”, afirma Pereira, em entrevista ao Alma Preta.

Em 26 de junho, o governo do Distrito Federal decretou Estado de Calamidade Pública por conta da pandemia da Covid-19. “Isso significa que a quantidade de leitos disponíveis tanto na rede pública e na privada estava quase esgotando. A reabertura da economia só iria piorar a situação. Se abrir tudo vai aumentar o número de casos e, em poucos dias, vamos ter que fechar tudo de novo”, explicou o advogado.

A sentença liminar em favor do pedido do Manifesto pela Vida foi dada pela 2ª Vara da Fazenda Pública e o governador Ibaneis Rocha (MDB) revogou o decreto que previa a flexibilização das atividades comerciais na cidade.

O fisiculturista que ameaçou o advogado tem um canal no YouTube chamado “hipertrofia máxima” e uma marca de complemento alimentar para ganho de massa muscular.