Flávia Arruda pede licença do ministério para tratar de assuntos particulares

·1 min de leitura
Ministra Flávia Arruda, com o presidente da Câmara, Arthur Lira, e ministro Paulo Guedes

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, pediu afastamento do cargo para tratar de assuntos particulares entre os dias 13 e 21 de janeiro, conforme despacho publicado pela Presidência da República no Diário Oficial da União (DOU).

Segundo a assessoria da ministra, o afastamento é uma espécie de pequeno recesso, tendo em vista o fato de ela não ter se licenciado do cargo tanto na semana de Natal como na do ano novo.

Flávia Arruda fará aniversário de 42 anos no dia 21 de janeiro.

A ministra --deputada federal licenciada pelo PL-- é a única representante do partido no primeiro escalão do governo. Bolsonaro recentemente filiou-se ao partido a fim de concorrer à reeleição para Presidência.

Flávia Arruda chegou a ser recentemente alvo de críticas de aliados, até com pressões para demiti-la do primeiro escalão. O presidente, entretanto, defendeu-a na semana passada afirmando que desconhecia eventuais erros dela para retirá-la do cargo.

"Se, porventura, (ela) estiver errando, como já aconteceu, acontece, eu chamo e converso com ela. Ela não será demitida jamais pela imprensa", disse Bolsonaro, na ocasião.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos